Oliver: A banda podre

VLADY OLIVER Sabem o que é nojento, o que é asqueroso, o que é abjeto? É ver que a maior quadrilha que já se apoderou da coisa pública mentindo, manietando, achacando e ameaçando começou enganando suas hordas de eleitores feitos de otários neste país. Da Bancoop à presidência de uma república de bananas, nada escapou […]

VLADY OLIVER

Sabem o que é nojento, o que é asqueroso, o que é abjeto? É ver que a maior quadrilha que já se apoderou da coisa pública mentindo, manietando, achacando e ameaçando começou enganando suas hordas de eleitores feitos de otários neste país. Da Bancoop à presidência de uma república de bananas, nada escapou da sanha pilantra dessa gente rameira, que vinha com a cartilha marxista debaixo do braço a brandir uma “justiça achada no lixo” mas que, na verdade, alimentavam mesmo é os seus sonhos pequeno-burgueses dos anos setenta, capitalizando a coisa com o capital alheio, como bem cunhou Reinaldo Azevedo.

A constatação de mais essa vigarice não é minha; é dos antagonistas. Mas salta aos olhos que esses canalhas “odeiam a classe média”, mas querem reproduzir sem o menor pudor os sonhos de consumo barato de todo rato que sobe na vida: em São Paulo, é ter “um apartamento no Guarujá e um sítio em Ibiúna ou adjacências”.

Me desculpem, amigos, mais isto é coisa de pobre. Milionário, mas pobre. Gente que pensa com a cabeça ancorada no século passado, como bem demonstrou a defesa inflamada da cartilha pilantra do socialismo, essa coisa idiota parida antes dos emergentes e muito antes do mundo digital, que escancara pra todo mundo ver do que é feito um pilantra dessa “catchiguria”.

Lulão e sua gangue foram desmascarados. Não vejo nas tevês aparelhadas até a medula, no jornal cheio de moscas ─ que finalmente teve de capitular e falar a verdade entalada em nove de cada dez brasileiros ─ algum “cientista político, antropólogo ou economista” a explicar, em sonoro e pusilânime bolivarianês, o significado estético de toda esse arquétipo carcamano. Parece que a casa caiu mesmo.

Não há o que justifique o que é roubo, apropriação indevida, desvio de dinheiro público e o apadrinhamento na qual vivia o séquito dos lula da silva e toda a sua quadrilha. Como chefe da seita picareta que dirigia, da camorra que pilotava, do bando que se lambuzava com o nosso dinheiro, lulão e suas malas de procedência duvidosa finalmente boiaram na lama pútrida que nos governa todos esses anos. Pois eu quero saber hoje como se sente um petralha, destes que queimam a VEJA em universidades públicas e saem em passeata por algum “benefício” ─ como andar de ônibus de graça às custas dos partidecos comunistas que abraçam a causa para subir na vida.

Não se enganem, bando de otários com bandeirinhas vermelhas enfiadas na cueca. Por trás de mais essa gratuidade, mais essa “bolsa-miséria”, mais esse mutirão de catarata, enconde-se a real natureza do socialismo; subir na vida com dinheiro dos outros, na lei do menor esforço. Quem não entendeu o significado do que está sendo denunciado pela imprensa hoje merece mesmo ficar levando bomba de gás lacrimogênio nos cornos, para ver se deixa de ser idiota. O tal de Vagner, aquele que “pegaria em armas” para defender essa mamulenga e seu séquito de pilantras pendurados nas tetas públicas, também tem o seu apartamento conseguido às custas dos otários.

A Bancoop tem cara de igreja neo-pentecostal, não é mesmo? Lá foi cimentada a barragem de rejeitos humanos que moldaram o PT e sua banda. O problema é que era muita lama para acomodar em pouca iniciativa privada.

Um dia, a coisa toda viria abaixo. Veio.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Alberto – USA

    Caro Oliver,
    Faz tempo que leio seus artigos aqui no blog do Augusto Nunes. Virei seu fã incondicional,porque como você (e ao contrário do prórpio Augusto, do Reinaldo e outros),sempre tive a certeza de que essa corja de vagabundos não só fraudou as últimas eleiçoes presidenciais, bem como como todas as demais. Tudo isso com a participação e acobertamento do Tóffoli e Lewandowski.
    É espantoso notar que você foi e é o único na revista Veja a sustentar esse fato óbvio e denunciar a falcatrua da Smartmatic a favor dessa cambada que se apoderou do país.
    Parabéns também por se referir ao jornal cheio de moscas, o qual todos sabemos ser a Folha de São Paulo, notória protetora desses esquerdopatas que infestam a nação.

    Curtir

  2. Comentado por:

    Renato

    Essa matéria deveria estar nas páginas (físicas) da revista!

    Curtir

  3. Comentado por:

    Sissi

    Oliver, tchê, e tanta lama não pára mais de vir morro abaixo.

    Curtir