O país quer saber

“Não há denúncia nenhuma porque não há denunciante”. Hideraldo Caron, diretor de Infraestrutura Rodoviária do DNIT, especialista em aumento do preço de contratos e multiplicação de aditivos, oferecendo mais um argumento aos milhões de brasileiros interessados em saber o que ainda está esperando o Ministério Público para fazer o que já deveria ter feito há […]

“Não há denúncia nenhuma porque não há denunciante”.

Hideraldo Caron, diretor de Infraestrutura Rodoviária do DNIT, especialista em aumento do preço de contratos e multiplicação de aditivos, oferecendo mais um argumento aos milhões de brasileiros interessados em saber o que ainda está esperando o Ministério Público para fazer o que já deveria ter feito há muito tempo.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    enesio belotti

    Eu não sei se tenho dó ou piedade.

    Curtir

  2. Comentado por:

    Paulo

    Esta mulher não pode ser bem certa !
    Ela chamou a Samarco de São Marcos !

    Curtir

  3. Comentado por:

    rosemary

    Quando eu penso que se esgotaram as asneiras, vem você e me deixa boquiaberta, engasgada de riso nervoso ( não dá pra controlar, não dá!)com outra imbecilidade. Isso não tem fim?!
    Caro Augusto, venho acompanhando diariamente as suas colunas há 2 ou 3 meses.
    Minha primeira manifestação foi um pedido de INTERDIÇÃO Por Prodigalidade da barrica reformada por Celso Kamura (quanto ganha o sujeito?): ela torra os bens da nação. Dissertei sobre o assunto com base jurídica; inseri conceitos de pensadores desde a Grécia e a Roma antigas_ sim a Prodigalidade já era então tratada com a Interdição_ até os especialistas contemporâneos.
    Também apresentei as condições para a INTERDIÇÃO por INCAPACIDADE_ as quais são preenchidas abarrotadamente em cada verbalização da terrorista.
    Clamei pela opinião do dr. Guido Palomba, psiquiatra forense ( parece ser o único do país inteiro). O psiquiatra dr. Freitas (desculpe-me se o nome for outro) discorreu sobre as falhas da personalidade do criador da incapaz.
    Por que o nosso suplício continua?
    O que faz a OAB?
    Não é a primeira vez na história do mundo que um governante enlouquece, mas é a primeira vez na história do mundo em que um governante louco não é afastado por sua demência; não há como negar; ela produz provas contra si espontaneamente a cada minuto.
    É o dever dos RESPONSÁVEIS_ PROMOTORES E JUÍZES_ cumprirem a lei e remove-la do cargo.
    Um abraço, cara Rosemary.

    Curtir

  4. Comentado por:

    Marcelo

    Qual pode ter sido o papel dessa “dama” nos acontecimentos que se desenvolveram na época do governo dos militares?
    Penso que, durante a juventude, talvez tenha tido alguma utilidade, como diria o Marx um uso prático, material, pragmático, e só.

    Curtir

  5. Comentado por:

    delmo oliveira

    Caro Augusto;
    Parece até piada, choca ver a Dilma Mentirosa Rousseff falando assim. Ora, ora, ora parece até que ela não defendeu os componentes do Estado Islâmico quando o Mundo Inteiro se assombrava com as atrocidades dos perseguidos pelos intolerantes ocidentais. Vindo de Dilma é crível. Chega de Lulopetismo!!!

    Curtir

  6. Comentado por:

    Charles A.

    Com certeza ela não se imagina no lugar das vítimas mas sim na realização de seus sonhos de juventude!

    Curtir

  7. Comentado por:

    Charles A.

    Lembro-me bem quando chamavam Suplicy de mogadon,nome de um conhecido sedativo da época.Perto da dona dilma du chef, o leso e histriônico ex-senador,cujas maiores obras foram cantar Blowin’ in the Wind no púlpito do senado e vestir cueca vermelha em cima da calça e continuar senador, é um exemplo de sanidade mental e competência profissional.

    Curtir

  8. Comentado por:

    Mônica Grace

    Maluquete!

    Curtir