O despertar dos artistas

Atualizado às 23h50 BRANCA NUNES “Tinham três coisas que a gente fazia quando era garoto que a gente mais se amarrava: andar de skate, ouvir Rock n’Roll e falar mal do governo”, anunciou Dinho Ouro Preto, vocalista do Capital Inicial, durante a apresentação do grupo no Rock in Rio 2011. “Na verdade, os anos foram […]

Atualizado às 23h50
adélia prado sobre sofrimento

BRANCA NUNES

“Tinham três coisas que a gente fazia quando era garoto que a gente mais se amarrava: andar de skate, ouvir Rock n’Roll e falar mal do governo”, anunciou Dinho Ouro Preto, vocalista do Capital Inicial, durante a apresentação do grupo no Rock in Rio 2011. “Na verdade, os anos foram passando e a gente descobriu que gostava de falar mal de qualquer governo. Fosse ele de esquerda ou de direita. Todos são iguais. Essa aqui é para as oligarquias que ainda parecem dominar o Brasil. Essa aqui é para o Congresso brasileiro, em especial para o José Sarney”.

A fala que precedeu a música Que país é esse? não foi apenas o estopim para o grito contido na garganta de milhões de brasileiros. Ela marcou também o despertar de artistas e intelectuais diante daquela que é, segundo definiu Adélia Prado no programa Roda Viva, uma das épocas mais cinzentas da história brasileira. “Nós vivemos uma ditadura disfarçada”, lamentou a poeta. “Os poderes da República estão como comida envenenada”.

Em 2013 foi a vez de Lobão, massacrado pela esquerda depois do lançamento do livro Manifesto do Nada na Terra do Nunca. “Temos uma presidenta que é uma anta, que fala mal, que pensa mal”, desabafou o cantor na entrevista a esta coluna. “Nós temos que sair desse atoleiro”.

A mesma raiva despejada sobre Lobão foi desferida na última semana contra Roger, vocalista do Ultraje a Rigor, e Ney Matogrosso. Ney entrou no rol dos inimigos da pátria depois de fazer, durante uma entrevista à emissora portuguesa RTP, a pergunta que se fazem todos os brasileiros decentes: “Se existia tanto dinheiro disponível para gastar na Copa, por que não resolver os problemas do nosso país?”.

Criticado pelo twitter, Roger contra-atacou ao vivo, durante um show no último dia 10: “Fui atacado porque, segundo a lógica distorcida desses cretinos, eu estaria aceitando dinheiro de um governo que não apoio para tocar hoje aqui, e que isso não seria coerente. Pois bem, quem está me pagando hoje não é um partido que se considera dono do Brasil”. E terminou com a constatação que tanto os cidadãos quanto o governo — um por ignorância, outro por esperteza — parecem esquecer: “Quem está me pagando é o povo, do qual eu faço parte”.

Dinho Ouro Preto:

Adélia Prado:

Lobão:

Roger:

Ney Matogrosso:

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    flavio

    Esses artistas são realmente valores vivos do Brasil e como tal merecem ser prestigiados. Possuem carater e nobreza para mostrar aos jovens como esse governo vêm ha 12anos tentando impor uma ditadura no pais através da compra de votos e dos mensalões.

    Curtir

  2. Comentado por:

    Caio S

    E a lista é maior: Paulo Coelho, Irene Ravache, Zico, Romário…

    Curtir

  3. Comentado por:

    Luiz Tito de Castro Urzêda

    Assim como os grandes artistas do Brasil, todas as pessoas de bom caráter já saltaram ou ainda vão saltar da nau petista. Até parece que haverá o inverso de uma propalada constatação: quando a nau afundar só estarão os ratos.

    Curtir

  4. Comentado por:

    Riverside

    Demorôôô! Que venham as velhas atrizes, que a Globo faça uma novela contando a ascensão e queda da organização criminosa. Alguma sugestão para a linha do tempo, daquela anódina recepcionista viuvinha do sindicato?

    Curtir

  5. Comentado por:

    geroldo zanon

    Só agora descobriu que são todos bandido eu já sei á muito tempo

    Curtir

  6. Comentado por:

    Painho, Rei do Gado

    Por onde o Paulo Betti?
    Que tal alguém tentar entrevistar esse tolo?
    E o Chico Buarque? Não seria um bom nome para o Roda Viva? O quê? Ele não aceitaria de jeito nenhum? Claro, esquerdopata é assim mesmo, na falta de argumentos ausenta se do debate político. Afinal como defender essa canalha instalada no Planalto? Reis da burrice, da corrupção, da incompetência e do nonsense e ainda há “artistas” que os defendam…ou não? Ouse convidá/convocá-lo , Augusto!

    Curtir

  7. Comentado por:

    Rafael Mello

    É um roda viva melhor que o outro, parabéns!

    Curtir

  8. Comentado por:

    Bruno Sampaio

    Faltou macheza ao Dinho do Capital inicial. Que mané Sarney, rapá! Fala mal do governo Dilma!

    Curtir