Entre todos os países que adotaram o voto eletrônico, o Brasil é o único que ainda utiliza urnas que podem ser manipuladas

Publicado na Coluna do Ricardo Setti WALTER DEL PICCHIA* Um estudo publicado no site do voto eletrônico pelo engenheiro Amilcar Brunazo Filho, coordenador do Fórum do voto eletrônico e um dos maiores especialistas em segurança de dados, demonstra cabalmente que nossas urnas eletrônicas, endeusadas como a oitava maravilha do mundo, na realidade estão tecnicamente ultrapassadas pelas […]

Publicado na Coluna do Ricardo Setti

urna-eletronica-mao

WALTER DEL PICCHIA*

Um estudo publicado no site do voto eletrônico pelo engenheiro Amilcar Brunazo Filho, coordenador do Fórum do voto eletrônico e um dos maiores especialistas em segurança de dados, demonstra cabalmente que nossas urnas eletrônicas, endeusadas como a oitava maravilha do mundo, na realidade estão tecnicamente ultrapassadas pelas utilizadas nos dez países onde se realizam eleições informatizadas (Modelos e Gerações das máquinas de votar – Janeiro/2014).

Ele descreve os três modelos conhecidos (DRE, VVPAT e E2E), denominando-os como de Primeira, Segunda e Terceira gerações. Estas denominações traduzem o fato de que os três modelos surgiram como evolução, um após o outro, para resolver algum problema do modelo anterior.

Em todo o mundo onde se usa voto eletrônico, excluindo-se o Brasil, modelos de 1ª geração já foram abandonados, devido à sua inerente falta de confiabilidade e absoluta dependência do software (ou seja, modificações intencionais ou erros não detectados no software poderiam causar erros não detectados nos resultados da votação).

A 1ª Geração – DRE
Nas urnas de 1ª geração, conhecidas por DRE (Direct Recording Electronic voting machine — máquina de gravação eletrônica direta do voto), os votos são gravados apenas eletronicamente, não oferecendo possibilidade de auditoria por outros meios. Deste modo, a confiabilidade do resultado publicado fica totalmente dependente da confiabilidade do software instalado no equipamento.

Máquinas DRE foram usadas em eleições oficiais em 1991 na Holanda, em 1992 na Índia e desde 1996 no Brasil. O modelo brasileiro chegou também a ser usado em alguns países latino americanos entre 2002 a 2006.

A falta de confiabilidade do modelo DRE (utilizado no Brasil) fez com que, a partir de 2004, este modelo fosse substituído por outros mais evoluídos e confiáveis. De 2004 a 2012, a Venezuela, a Holanda, a Alemanha, os Estados Unidos, o Canadá, a Rússia, a Bélgica, a Argentina, o México e o Paraguai abandonaram o modelo DRE de 1ª Geração.

Em 2014, a Índia e o Equador adotarem modelos mais avançados, de maneira que restou apenas o Brasil ainda usando o modelo DRE de 1ª Geração em todo o mundo.

A 2ª Geração – IVVR ou VVPAT
A 2ª Geração foi proposta formalmente em 2000 (tese de doutorado da Ph.D Rebecca Mercury, disponível na internet). Na tese, foi proposta a possibilidade de auditoria contábil da apuração por meio de uma segunda via de registro do voto, além do registro eletrônico usual.

Este novo registro deveria ser gravado em meio independente que não pudesse ser modificado pelo equipamento de votação e deveria poder ser visto e conferido pelo eleitor antes de completar sua votação. Ela propôs o nome “Voter Verifiable Paper Audit Trail” (Documento de Auditoria em Papel Conferível pelo Eleitor), ou VVPAT.

Posteriormente, a literatura técnica adotou também o nome “Independent Voter Verifiable Record” (Registro Independente Conferível pelo Eleitor), ou IVVR. No Brasil é comum ser chamado de “Voto Impresso Conferível pelo Eleitor”, ou VICE.

A principal característica de equipamentos com VVPAT (IVVR ou VICE) é que passam a ser independentes do software. O Registro Digital dos Votos (RDV) e a sua apuração eletrônica podem, neste caso, ser conferidos por ações contábeis de auditoria, independentes do desenvolvedor do software e do administrador do sistema.

Assim, em 2006, desenvolveu-se o Princípio da Independência do Software em Sistemas Eleitorais que, aos poucos, passou a ser exigido em todos os países que usam voto eletrônico, fora o Brasil. Ele diz: Um sistema eleitoral é independente do software se uma modificação ou erro não-detectado no seu software não pode causar uma modificação ou erro indetectável no resultado da apuração ou na inviolabilidade do voto.

No Brasil, em 2002, houve um teste com urnas com VICE, de 2ª Geração, o qual resultou em fracasso, decorrente da falta de planejamento e condução da experiência. Em seguida, em 2004, a Venezuela implantou equipamentos de 2ª Geração com VICE, com todo sucesso, demonstrando que a proposta é perfeitamente viável, ao contrário do que afirma o TSE no Brasil.

A partir de 2006, equipamentos de 2ª Geração, com voto impresso ou escaneado, passaram a substituir os equipamentos de 1ª Geração em todos os países.

A 3ª Geração – E2E
A partir de 2008, várias iniciativas começam a apresentar sistemas eleitorais independentes do software, que aprimoravam e/ou facilitavam os procedimentos de auditoria, tanto do registro do voto como de sua apuração e totalização.

Na Argentina (2010) foi apresentada uma cédula eleitoral com um chip de radio-frequência (RFID) embutido, onde, num só documento, estão presentes o registro digital e o registro impresso do voto. Esse documento é chamado de “Boleta de Voto Electrónico” (BVE) e propicia muita facilidade para os eleitores e para os fiscais de partido poderem conferir o registro do voto, a apuração e a transmissão dos resultados.

O sistema argentino está descrito no 2º Relatório CMind (ver no site do voto eletrônico), com várias tabelas comparativas do desempenho desse sistema de 3ª Geração em relação ao sistema brasileiro de 1ª Geração.

Em 2009, no município de Tacoma Park, nos EUA, foi testado o sistema Scantegrity II, onde o voto criptografado é impresso e entregue ao eleitor, que poderá verificar posteriormente o seu processamento, sem, no entanto, conseguir revelar o conteúdo do seu voto. Logo em seguida, em Israel, foi apresentado o Wombat, muito parecido ao Scantegrity.

As características comuns de todos esses sistemas de 3ª geração são a independência do software e a grande facilidade de auditoria independente, de ponta a ponta. Por esse motivo, os sistemas de 3ª geração são designados “End-to-End verifiability” ou, E2E.

No site do voto eletrônico, em sua página de abertura, está o link para o estudo aqui resumido. Nele há um mapa com a distribuição dos modelos usados no mundo. Estão divididos em:

— País que ainda usa sistema DRE de 1ª Geração (dependente do software): Brasil

— Países que testaram e abandonaram sistemas de 1ª Geração por falta de transparência ou falta de confiabilidade e, no momento, não estão usando votação eletrônica: Alemanha, Holanda, Irlanda, Inglaterra, Paraguai

— Países que abandonaram sistemas de 1ª Geração e passaram a usar sistemas VVPAT de 2ª Geração (independentes do software): Bélgica, Russia, Índia, EUA, Canadá, México, Venezuela, Peru, Equador, Argentina

— Países que adotaram ou estão testando sistemas E2E de 3ª Geração (independentes do software, com auditoria facilitada): EUA, Israel, Equador, Argentina

Na Página Principal do site do voto eletrônico encontra-se a Cartilha Básica do voto-e no Brasil, que resume críticas e propostas para as eleições informatizadas brasileiras.

(VALE A PENA LER. CLIQUE AQUI.)

* Professor aposentado da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo e participante do Fórum do Voto Eletrônico

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Dora

    O esquema está claro:pesquisas compradas que vão sempre colocar a candidata em primeiro lugar para justificar a fraude final nas urnas.

    Curtir

  2. Comentado por:

    Sergio

    Se existe espionagem eletrônica,como a denuncia que ocorreu há algum tempo atrás, do governo norte americano, qual é a confiabilidade nessa estrovenga eletrônica criada pelo nosso governo? Qualquer programador, analista ou qualquer curioso em informática consegue burlar esse sistema.

    Curtir

  3. Comentado por:

    Jotinha (ES)

    Dicionário de petês – DRE: Direct Revolution Electronic; Demolidora de Repúblicas Emergentes; assim como PT, MST, PCC, CV, MTST, PR, TViana, TOP TOP, BLACK BLOC, PTroubas, GAMECORP, BANCOOP, abreviatura, sigla ou alcunha usada pelos marginais do poder para identificar uma das incontáveis tramoias que continuam impunes durante a Era da Tortura da Mordaça nas Redações, da Mentira, da Roubalheira e da Ignorância “nunca antes vista…”: a urna eletrônica.

    http://fimdostempos.net/bancoop-pt.html

    Curtir

  4. Comentado por:

    Wake up

    Essa urna eletrônica que foi propalada com a maravilha da tecnologia tupiniquim sempre foi na verdade uma urna de fabricar politicorruPTos para perpetuar o sistema farsesco.
    Pena que só depois de muitas décadas que pessoas analfabetas em bugigangas eletrônicas começam a desconfiar.

    Curtir

  5. Comentado por:

    Jandira Gomes

    Shiii! Então, barbas de molho, porque do jeito que está tudo aparelhado pela petralhada; todo cuidado é pouco.

    Curtir

  6. Comentado por:

    Charles A.

    Ao entusiasta das urnas eletrônicas 18:13 :Há uma injustiça aí .Do ponto de vista petista,é a melhor invenção brasileira de todos tempos depois do mensalão! Você poderia me explicar quais são as várias auditorias e qual a credibilidade desse sistema de votação paralela?. O Toffoli fiscaliza pessoalmente os resultados para ver se estão de acordo com suas expectativas? Pior do que qualquer falha de sistema é o Toffoli presidindo o TSE e impedindo auditorias externas,dando pareceres favoráveis ao PT. Estas eleições são uma farsa.Não fosse assim, os assessores da rainha de copas teriam mais cuidado com o festival de besteiras que ela e seu alter ego vivem vomitando por sí.

    Curtir

  7. Comentado por:

    J.C.

    Eu não confio na urna eletrônica.

    Curtir

  8. Comentado por:

    Roberto Sterling

    A pessoa das 18:13(via a urna eletronica)realmente é cobra mandada do PT, pura balela…

    Curtir

  9. Comentado por:

    luiz

    Depois que Russomano em primeiro lugar, ter sido eleiminado para as eleicoes da prefeitura de Sao Paulo, nao confio mais em urnas eletronicas. Serra perdeu a eleicao, acredito que possa ter existido fraude, objetivo ser humilhado vexatoriamente pelo PT. Vamos aguardar para governador, se der Padilha, estará confirmado. Quanto a Haddad, esta confirmado o poste de Lula, até cachorro esta rejeitando para fazer pipi.

    Curtir

  10. Comentado por:

    Charles A.

    Correção 13:05 : a rainha de copas e seu alter ego vivem vomitando besteiras por aí!

    Curtir

  11. Comentado por:

    login

    Agora perdeu a graça. Quer dizer que votamos em fulano(foto que aparece na urna), mas o voto é contado para o beltrano.
    Assim ferrou, porque o tse não viu isto antes.

    Curtir

  12. Comentado por:

    NIKA

    O juiz petista do Supremo e atual presidente do TSE, Toffoli, já descartou testes nas urnas – é preciso mobilização forte e urgente dos eleitores contra essa atitude suspeitíssima do juiz petista, pois o PT é capaz de tudo para não perder a eleição e fraudar urnas certamente é um dos meios para isso .

    Curtir

  13. Comentado por:

    mceu

    se quem entende do assunto faz tal afirmação é porque o problema é grave – gravíssimo
    será que dá para fazer um Roda Viva que inclua este assunto?
    precisamos dar publicidade à esta questão urgente para que possa ser alvo de debate amplo pela sociedade

    Curtir

  14. Comentado por:

    mceu

    e o problema mais sério – além de corrermos o risco de reeleger o “poste” – é que com mais quatro anos no poder essa turma remelenta ganha tempo para implantar a tão sonhada hegemonia comunista/socialista petista e adeus democracia – podemos nos preparar para virar uma Venezuela/cuba ou algo pior — debate já !!!!

    Curtir

  15. Comentado por:

    Lara

    Pro desgoverno o PODER vem em 1º lugar e o povo em ultimo ou seja eles não tem o menor interesse em trocar as urnas, o pessoal da imprensa tem q fazer sua parte e COLOCAR EM DESTAQUE ESSE TIPO DE MATÉRIA, porque chega as eleições vc escuta muitos elogios sobre o voto eletrônico e vê q a maioria não tem a menor noção sobre a pior urna de todos os tempos

    Curtir

  16. Comentado por:

    Milton

    Parabéns augusto nunes voce é o unico jornalista brasileiro que teve coragem de denunciar essa farsa de que a urna eletronica brasileira é a mais segura do mundo que a midia comprada brasileira tem o prazer de estampar por aí e os brasileiros trochas ainda acreditam.brasil o pais da malandragem

    Curtir

  17. Comentado por:

    P. Roberto

    Eu já falei sobre isso: os criminosos do PT que estão de posse das URNAS além de terem todo o sistema central em suas “sujas mãos” vão fazer de tudo para continuarem com as chaves dos COFRES PÚBLICOS e “mamando” muito. Portanto, vão FRAUDAR as eleições se nada for feito. URGENTEMENTE é preciso que todos os JUÍZES ELEITORAIS se reúnam a fim de discutir esse assunto. Por favor! Façam isso.

    Curtir

  18. Comentado por:

    Otávio Campos

    Isso não me surpreende. Sempre que posso comento com amigos, familiares, e quem quiser ouvir as minhas razões, para não acreditarem nesta farsa de urna eletrônica.
    Há algum tempo comentei nesta coluna, em outro post do Augusto, e por ter cursado pós-graduação Segurança da Informação – conhecimento de causa, que é consenso comum entre profissionais de TI, em todo mundo, que sistemas baseados em software podem ser adulterados sem dificuldade. Logo fica a constatação: A URNA ELETRÔNICA BRASILEIRA É UMA FÁBRICA DE FRAUDES.
    Há casos relatados e comprovados de alteração nos resultados tanto em urnas eletrônicas como em servidores que agrupam os dados repassados por estas urnas.
    Mas, o pior não é a urna eletrônica brasileira. O pior é este tribunalzinho conhecido como TSE, além dos seus satélites estaduais.
    Estes caras do TSE e TREs acham que somos trouxas. Acham que irão enganar a todos por muito tempo. Não irão e quando houver um ataque cibernético maciço aos seus servidores todo o sistema informatizado desta farsa eleitoral cairá.
    Vamos desmascarar esta FRAUDE TECNOLÓGICA e acabar com esta imundície eleitoral, para o nosso bem e de todo o país, além desta obrigatoriedade imoral de termos que ir votar em bandidos de quadrilhas partidárias.

    Curtir

  19. Comentado por:

    Marilene

    E o STE não faz nada?

    Curtir

  20. Comentado por:

    Marilene

    Opa! TSE…

    Curtir

  21. Comentado por:

    JOSÉ CARLOS WERNECK

    Prezado Augusto,
    Temos de insistir e muito neste assunto para que a próxima eleição não seja TOTALMENTE MANIPULADA.
    Desculpe se estou sendo repetitivo.Em 2010,em artigo,que pode ser visualizado,clicando o link abaixo eu falava deste perigo.
    http://www.tribunadainternet.com.br/o-eleitor-tem-direito-ao-papelzinho/

    Curtir

  22. Comentado por:

    edilio

    Na ultima eleição aqui em Brasilia, votei para distrital num cadidato pouco conhecido, eu tinha certeza de que na minha secção, para este candidato, só teria o meu voto. E PARA SURPRESA APÓS A APURAÇÃO FUI CONFERIR E NÃO ENCONTREI O MEU VOTO….PERGUNTEI AO TRE E NUNCA ME RESPONDERAM… TENHO CERTEZA DE QUE FUI ROUBADO…..ESSAS URNAS NÃO TEM SEGURANÇA…..É POR ISTO QUE O PT GANHA………..

    Curtir

  23. Comentado por:

    Rodrigo

    Quem acha que o TSE está dominado pela quadrilha petralha, assim como diversas outras instituições de nossa democracia (se é que ela ainda existe), tecle 1 na Urna Eletrônica… ou qualquer outro dígito. Seu voto será exatamente o OPOSTO daquilo que você acha.

    Curtir

  24. Comentado por:

    jose antonio

    Então não preciza ter mais eleições e o PT continua aonde este e fica tudo por isso mesmo , ou podemos fazer alguma coisa . Quero esclarecimento e não só bla bla bla.

    Curtir

  25. Comentado por:

    António

    Urna eletronica por aqui é um risco total.
    Se hackers entram na CIA, Pentágono, BC como não no TSE! Aliás como fica uma recontagem? Impossível!
    Então, o poder da hora decide.

    Curtir

  26. Comentado por:

    marcello fonttes

    O problema não são os hackers. O problema são os funcionários públicos que assumiram cargos porque militantes do PT; o problema é a justiça aparelhada por militantes e juízes “devedores” de favores aos “políticos” do PT; o problema é a falta de vergonha endêmica e confessa, a desassombrada desonestidade que os partidários do PT apresentam em suas manifestações diárias; o problema é que estamos cercados por falsários e manipuladores que cevando os desonestos e ávidos por exibirem-se não têm qualquer pudor em falsear, atendendo às exigências de egos doentios.

    Curtir

  27. Comentado por:

    EXTRA! EXTRA! EXTRA!

    Não dá pra ignorar bons matemáticos, não. Eles são os pais da solução humana. Descobriu-se uma maneira de fiscalizar a ‘URNA-ELETRÓNICA’. Se houver FURTO DE VOTOS, é possível descobrir. Leia este que é um dos mais importantes assuntos da Democracia Verdadeira. Entretanto, a melhor solução é substituir a atual ‘urna’ por outra de geração mais atualizada, com recibo impresso do voto etc.
    http://www.gazetadopovo.com.br/vidapublica/eleicoes/2014/conteudo.phtml?tl=1&id=1488298&tit=Aplicativo-para-celular-vai-fiscalizar-a-urna-eletronica-

    Curtir

  28. Comentado por:

    Vera

    CUIDADO COM AS URNAS! Concordo com MARCELLO FONTTES, ele está mostrando onde está o perigo. CUIDADO, CUIDADO, CUIDADO.

    Curtir

  29. Comentado por:

    Maurilio

    Investiguem uma empresa americana chamada procomp com fábrica em barueri e lá que a coisa e feita

    Curtir

  30. Comentado por:

    Diego de Freitas Aranha

    Correção para o post abaixo: nosso aplicativo não detecta fraudes nas URNAS, apenas na transmissão e totalização do que elas produzem. O problema de falta de transparência nas urnas persiste.

    Curtir

  31. Comentado por:

    Arnaldo Nogueira

    Com a quadrilha petista no comando, será perda de tempo a realização das eleições. Eles vão fazer de tudo para mudar o resultado da votação. Será que a oposição não teria meios para solicitar a presençã de algum órgão internacional confiável para fiscalizar a apuração dos votos?

    Curtir

  32. Comentado por:

    LUG

    Como a oposição pensa em se defender de manipulações nas urnas? Ninguém da imprensa fez esta simples pergunta aos responsáveis pelas campanhas oposicionistas?

    Curtir

  33. Comentado por:

    Nina

    Na minha cidade vai ser fácil descobrir QUEM VOTOU EM QUEM. São poucos eleitores em uma cidade pequena, mas em uma grande cidade o perigo é GRANDE, com grande número de SAFADOS, canalhas e ladrões. Concordo co ANTÔNIO de dia 01 as 18,48.

    Curtir

  34. Comentado por:

    Nasdarra Turião.

    O Brasil é o único país no mundo a ter a estrutura de um Grande Tribunal somente para crimes eleitorais. O presidente deste é “pinçado” entre os diletos do “Rei”, escolhidos especialmente para mobiliar, com mandato vitalício, o STF. Onde a política deste país põe as mãos, ocorre o que vemos sempre.

    Curtir

  35. Comentado por:

    Marco Antonio Colagrossi

    Desconfio das intenções de quem, há menos de dois meses das eleições, faça esse tipo de observação. Nesse momento, falar sobre a fragilidade das urnas eletrônicas, é fazer o jogo de quem está no governo. Essa discussão induz o eleitor a não ir votar. Porque votar se as urnas podem ser fraudadas\??? Agora, veja no site do TSE, todas as reclamações sobre as urnas, o reclamante nunca provou que houve alguma falha. Tudo pode-se fraudar, de chupetas até avião, de certidão de nascimento a título de doutor honoris causae, basta que o estelionatário, o fraudador tenha coragem de fazê-lo. Pois ser for pego irá para a cadeia. Dessa forma, já tivemos muitas eleições e nenhuma delas tentaram fraudar. Todos às urnas seria o melhor caminho para as eleições brasileiras. Debater segurança das urnas há dois meses das eleições é expulsar eleitores delas, jogo que faz os detentores do poder ter oportunidade maior para mantê-lo, pela abstenção que essa pretensa discussão possa causar!!!

    Curtir

  36. Comentado por:

    l saback

    acompanhei na abi, com a presença do saudoso barbosa lima sobrinho ( creio que nos deixou pois adivinhava o que viria com a gestão petista ) debates, se não me engano com o amilcar, sobre as famigeradas urnas eletrônicas. já comentei anteriormente, que os que inicialmemte manipularam os resultados, com finalidade de manter a economia estável viessem a publico revelar o que fizeram, pois o pt descobriu e quer se eternizar no poder. por isso roubam, fraudam e até acobertam assassinatos.

    Curtir

  37. Comentado por:

    Nasdarra Turião.

    Se me permite, tento responder ao Sr Marco Antonio Colagrossi – 07/08/2014 às 7:01. Desconfio que confias demais no que é escrito no site do TSE. Desconfio que desconfias de quem é especialista e confias em quem é posto lá pelas mãos do político. Anular o voto e não votar É UM DIREITO de todo eleitor, MESMO QUE POR IMPOSIÇÃO de gente que mais usufrui do que honra a sua certidão de nascimento. Se verificar de forma consciente verá que denúncias de fraude pipocam em vários cantos, simplesmente os indícios gritam isso. Quanto a ninguém ter sido preso ou não terem provado nada, não é ao eleitor a QUEM DEVE PERGUNTAR.

    Curtir

  38. Comentado por:

    Chicão

    A oposição deverá abrir os olhos para a fraude que certamente os bandidos do lullllo-petismo armarão nestas eleições, visto que as urnas eletrônicas não oferece segurança nenhuma nos resultados e deveriam ser substituídas por similares mais seguras e que já estão sendo utilizadas em outros países.O petismo é formado por bandidos e celerados capazes de qualquer ato sujo para continuar em torno dos cofres públicos.

    Curtir

  39. Comentado por:

    esther correa

    Sei não, até hj não acredito na vitória do Haddad. Seria o mesmo que o Padilha ganhasse, já que as intenções de votos nos 2 são iguais e no mesmo período. Sempre desconfiei que há uma conivência entre certos institutos de pesquisa e os candidatos petralhas, como por ex: A Anta Roussefa hj é odiada pelo Brasil de norte a sul e no entanto continua sendo a favorita, exatamente para ninguém se espantar se ela ganhar. Conta outra, vá!

    Curtir

  40. Comentado por:

    Carlos Aurelio

    Quando se utiliza os computadores do palácio do governo para ações ilícitas, como por exemplo a alteração do perfil de jornalistas no Wikipidia, o que podemos esperar do voto eletrônico?

    Curtir

  41. Comentado por:

    biscoito

    Bolsa família = bolsa votos
    Cotas raciais = cotas racistas
    Dilma roussef = #@%$&#$¥£€

    Curtir

  42. Comentado por:

    Heleno Nogueira

    Cabe aos partidos cobrarem uma politica de auditoria constante de todo o processo, tendo cada partido profissionais por ele enviados, desde o inicio do preparo do sistema para as eleições, passando pela exigência de criação de ferramentas para auditoria individual das urnas antes do inicio das votações, indo até a contabilização das apurações. Um sistema paralelo de registro, seja por impressão ou eletrônico, poderia ser acrescentado sem dificuldades. Mas o principal, é uma auditoria constante de todo o processo capitaneada pelos partidos.

    Curtir

  43. Comentado por:

    Márcia Helena Barreto Demarchi

    Neste país onde a credibilidade é zero, como confiar nas urnas eletrônicas?
    E por que os países de primeiro mundo não adotam esse sistema eleitoral?

    Curtir

  44. Comentado por:

    Wilson Ferreira de Castro

    Se eu votar nulo vai ser computado como nulo ou é uma farça?

    Curtir

  45. Comentado por:

    Luís Carlos Von Mühlen da Silva

    Olá! Vai mais uma ideia minha aí!
    Temos que cobrar o fim das estabilidades! O povo tem o direito de votar,e terá o direito de dez-votar ou negativar seu voto,dando lugar voto à voto, até entrar o vice ou segundo mais votado assim sucessivamente,em cada cartório eleitoral uma Urna eletrônica habilitada à finalidade,em todo horário funcional; caso estivermos insatisfeitos!
    Só falta algo assim para melhorarmos a democracia….

    Curtir

  46. Comentado por:

    ALVARO RODRIGUES PAULO

    Porque não fazer um abaixo assinado pedindo eleições sem urnas eletronicas/

    Curtir

  47. Comentado por:

    ALVARO RODRIGUES PAULO

    Porque não fazer um abaixo assinado pedindo eleições sem urnas eletrônicas.

    Curtir

  48. Comentado por:

    João Bezerra da Silva

    Porque não tornar o voto facultativo e público não obrigatório nemsecreto

    Curtir