Domingo não é dia de ficar em casa: quem decreta o impeachment é o povo na rua

A batalha entre os brasileiros decentes e os adoradores do camelô de empreiteira terminou três dias antes de começar. Como aqui se previu, a seita lulopetista desistiu de dar as caras na Avenida Paulista, depois ameaçou celebrar outra missa negra na Praça Roosevelt e enfim se conformou com a capitulação sem luta. O que resta […]

A batalha entre os brasileiros decentes e os adoradores do camelô de empreiteira terminou três dias antes de começar. Como aqui se previu, a seita lulopetista desistiu de dar as caras na Avenida Paulista, depois ameaçou celebrar outra missa negra na Praça Roosevelt e enfim se conformou com a capitulação sem luta. O que resta do partido que virou bando vai ver pela TV a irreversível mudança na direção dos ventos: agora, é o Brasil decente que manda nas ruas.

“Se quiserem me derrotar, terão de me enfrentar nas ruas”, desafiou Lula em duas discurseiras sucessivas. A bravata foi desmoralizada pela rendição desonrosa do exército que já não há. O país que presta está perto de ganhar a guerra do impeachment. O desfecho vitorioso ─ não custa insistir ─ depende do tamanho das manifestações que ocorrerão daqui a poucas horas, sobretudo da programada para o coração da maior cidade brasileira.

Se a onda de protestos alcançar dimensões semelhantes às registradas há exatamente um ano, o fim da Era da Canalhice virá em pouquíssimas semanas. Em 1992, em meio à crise que desembocou na queda de Fernando Collor, o deputado Ibsen Pinheiro, então presidente da Câmara, lembrou que o Congresso sempre faz o que o povo quer. Sempre foi assim. Assim sempre será.

Quem decreta o impeachment é a voz da rua. É o que pode acontecer neste 13 de março que tem tudo para eternizar-se nos livros de História. Dilma Rousseff só ficará no Planalto se os milhões de indignados se negarem a compreender que domingo não é dia de ficar em casa.

http://videos.abril.com.br/veja/id/c5c2ace2a1e02ce682844cb6c7b27fca?

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Yvair- Pedro Leopoldo- MG

    ” O BRASIL te pede: ” Em nome de Deus que dizes amar, compadece-te de mim!”( Mensagem Espírita).
    ¨¨
    FORA p.t!

    Curtir

  2. Comentado por:

    Erasmino

    Alma “onesta”: não foge da justiça não!
    Jararecos.

    Curtir

  3. Comentado por:

    Patricia Regina Mosconi

    Augusto. Meu niver foi no sábado. Muita festa. Imaginei que não daria conta de ir ao movimento no domingo. Seu texto me fez ir. Foi ótimo.

    Curtir

  4. Comentado por:

    Diogo

    Esta ideia não é minha,caro Carlos Nascimento, e sim fruto deste sistema político podre que existe no Brasil e se retroalimenta através dos políticos comensais da nossa pátria mãe gentil.
    Quem viver,verá.
    Falaram que depois do mensalão tudo seria diferente e deu em piada de salão,conforme previu o Delúbio.

    Curtir

  5. Comentado por:

    Ana Tereza Torres

    Vocês deviam lançar um enquete sobre o que Dilma respondeu quando Lula disse que era “para enfiarem o processo no ……”. Será que ela riu; será que ela ficou “corada” e sem jeito; será que deu um puxavante de orelha em Lula …………………….. .

    Curtir