Depois de esconder o namoro, o PT agora jura que não conhece as Farc nem de vista

PUBLICADO EM 19 DE AGOSTO DE 2010 “Nunca houve participação das Farc no Foro”, mentiu em Buenos Aires o companheiro José Eduardo Cardozo, conselheiro da campanha de Dilma Rousseff, escort da candidata em passeios internacionais, secretário-geral do partido e representante da sucursal brasileira do Foro de São Paulo ─ um dos codinomes da Irmandade dos […]

PUBLICADO EM 19 DE AGOSTO DE 2010

“Nunca houve participação das Farc no Foro”, mentiu em Buenos Aires o companheiro José Eduardo Cardozo, conselheiro da campanha de Dilma Rousseff, escort da candidata em passeios internacionais, secretário-geral do partido e representante da sucursal brasileira do Foro de São Paulo ─ um dos codinomes da Irmandade dos Órfãos do Muro de Berlim. Até agora, Cardozo vinha agredindo a verdade sem tanta ferocidade: só fazia de conta que as FARC e o PT nunca passaram do flerte ao namoro. Nesta quarta-feira, na discurseira de abertura da 16ª edição do Foro, perdeu a vergonha de vez. E afirmou que os velhos parceiros não se conhecem nem de vista.

Em 2008, ao chorar a morte do amigo Raúl Reyes, o presidente venezuelano Hugo Chávez contou onde e quando conhecera o n° 2 das Farc, único guerrilheiro da história a morrer de pijama: “no Foro de São Paulo, em 1995″, diz aos 3m19 do vídeo que ilustra o post. Centenas de gravações semelhantes atestam que as Farc andam de mãos dadas com o resto da irmandade desde os tempos em que o Foro ainda era só um brilho no olhar de Fidel Castro. Em nome da turma, Cardozo nega o colosso de provas. Sem ficar ruborizado.

No começo do ano, ao anunciar que desistira da candidatura à reeleição, o deputado federal em fim de mandato insinuou que só retomaria a carreira parlamentar se o Congresso mudasse. Pela cara de coroinha que nunca bebeu o vinho da missa, imaginou-se que o companheiro estava incomodado com a falta de seriedade dos colegas. Pelas mentiras que anda contando, pode-se deduzir que resolveu mudar de rumo por achar o Congresso sério demais.

Cardozo já foi apresentado como um indício de que havia gente ética no PT pós-mensalão. Hoje é só mais uma evidência de que a Era Lula transformou o sistemático assassinato da verdade em instrumento de ação política.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Carruagem de fogo

    É difícil conviver em um mesmo pais,com um cara como o Cardoso,minístro de uma justiça injusta,o qual tenta se ocupar de tudo,menos da justiça.Ao mentir,sua cara não treme,fala com arrogância para parecer que está com a razão,sempre procurando minar a opinião e a reputação dos que julga adeversários,para em seguida,deitar e rolar,fazendo-se de saneador dos maus costumes.

    Curtir

  2. Comentado por:

    leopoldo

    Não é a toa que o PT não está nem aí para a Policia Federal. A final a quem interessa uma Policial Federal Reestruturada?

    Curtir