Depois da aula magna de Celso de Mello, o chefe da confraria dos fora-da-lei deveria calar-se o mais silenciosamente possível

O ministro Celso de Mello precisou de pouco mais de uma hora para enterrar em cova rasa sete anos de mentiras, bravatas, bazófias e invencionices produzidas pelo ex-presidente Lula desde que a descoberta do mensalão o animou a nomear-se Padroeiro dos Bandidos de Estimação. Na sessão desta segunda-feira, o decano do Supremo Tribunal Federal fez […]

O ministro Celso de Mello precisou de pouco mais de uma hora para enterrar em cova rasa sete anos de mentiras, bravatas, bazófias e invencionices produzidas pelo ex-presidente Lula desde que a descoberta do mensalão o animou a nomear-se Padroeiro dos Bandidos de Estimação. Na sessão desta segunda-feira, o decano do Supremo Tribunal Federal fez muito mais que restabelecer a verdade com um voto irretocável. Ao longo da aula magna de Justiça, sublinhada pela celebração da honradez, Celso de Mello lavou a alma do Brasil decente.

Comparem alguns momentos do besteirol interminável com lições do ministro. E contemplem o abismo que separa um Magistrado de um palanqueiro vulgar:

Lula: “O Supremo tinha de deixar o julgamento para depois da eleição. Acabou virando uma coisa política”.

Celso de Mello: “Estamos observando, neste julgamento, além do postulado da impessoalidade e do distanciamento crítico em relação a todas as partes envolvidas no processo, os parâmetros jurídicos que regem, em nosso sistema legal, qualquer procedimento de índole penal. O STF não está revendo formulações conceituais ou orientações jurisprudenciais, muito menos flexibilizando direitos e garantias fundamentais, o que seria absolutamente incompatível com as diretrizes que sempre representaram, e continuam a representar, vetores relevantes que orientam a atuação isenta desta Corte em qualquer processo, quaisquer que sejam os réus, qualquer que seja a natureza dos delitos”.

Lula: “O mensalão não existiu”.

Celso de Mello: “O Ministério Público expôs na peça acusatória eventos delituosos revestidos de extrema gravidade e imputou aos réus ora em julgamento ações moralmente inescrupulosas e penalmente ilícitas que culminaram, a partir de um projeto criminoso por eles concebido e executado, em verdadeiro assalto à Administração Pública, com graves e irreversíveis danos ao princípio ético-jurídico da probidade administrativa”.

Lula: “Se juntarem todos os presidentes da história do Brasil, vocês vão ver que eles não criaram instituições para combater a corrupção como nós criamos em oito anos. Sintam orgulho porque se tem uma coisa que fizemos foi criar instrumentos para combater a corrupção”.

Celso de Mello: “A corrupção compromete a integralidade dos valores que informam a ideia de República, frustra a consolidação das instituições, compromete políticas públicas nas áreas sensíveis, como saúde e segurança, além de afetar o próprio princípio democrático. O ato de corrupção constitui um gesto de perversão da ética do poder e da ordem jurídica, cuja observância se impõe a todos os cidadãos desta República que não tolera o poder que corrompe nem admite o poder que se deixa corromper”.

Lula: “O PT fez o que todo mundo faz. Foi uma questão de caixa dois”.

Celso de Mello: “Este processo criminal revela a face sombria daqueles que, no controle do aparelho de Estado, transformaram a cultura da transgressão em prática ordinária e desonesta de poder, como se o exercício das instituições da República pudesse ser degradado a uma função de mera satisfação instrumental de interesses governamentais e de desígnios pessoais. O cidadão tem o direito de exigir que o Estado seja dirigido por administradores probos e juízes incorruptíveis. Quem tem o poder e a força do Estado em suas mãos não tem o direito de exercer em seu próprio benefício a autoridade que lhe é conferida pelas leis da República”.

Lula: “Alguns companheiros podem ter errado, mas o PT acertou muito mais do que errou. Eu nunca soube de nada disso que eles chamam de mensalão”.

Celso de Mello: “A conduta dos réus, notadamente daqueles que ostentam ou ostentaram funções de governo, não importando se no Poder Legislativo ou no Poder Executivo, maculou o próprio espírito republicano. Em assuntos de Estado e de Governo, nem o cinismo, nem o pragmatismo, nem a ausência de senso ético, nem o oportunismo podem justificar, quer juridicamente, quer moralmente, quer institucionalmente, práticas criminosas, como a corrupção parlamentar ou as ações corruptivas de altos dirigentes do Poder Executivo ou de agremiações partidárias. Corruptores e corruptos devem ser punidos na forma da lei”.

Lula: “O que houve foi uma tentativa de golpe contra o governo do metalúrgico que governa pensando nos pobres. A elite não consegue admitir que um operário sem estudo foi o melhor presidente”.

Celso de Mello: “Esses vergonhosos atos de corrupção parlamentar, lesivos à respeitabilidade do Congresso Nacional, atos de corrupção alimentados por transações obscuras arquitetadas em altos patamares governamentais, devem ser condenados e punidos com todo o rigor da lei. Esse quadro de anomalia revela as gravíssimas consequências que derivam dessa aliança profana, desse gesto infiel e indigno de agentes corruptores, públicos e privados, e de parlamentares corruptos, em comportamentos criminosos, devidamente comprovados, que só fazem desqualificar e desautorizar, perante as leis criminais do País, a atuação desses marginais do Poder”.

A sorte de Lula é viver cercado por sabujos. Nenhum deles se atreveu a perturbar o chefe da confraria dos fora-da-lei com a tradução do documento histórico. Se entendesse a mensagem de Celso de Mello, até o mais loquaz dos governantes desde Tomé de Souza trataria de calar-se o mais silenciosamente possível.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    josé

    se C.Mello tem esse visão, pq n por lulalalau no banco dos réus

    Curtir

  2. Comentado por:

    Lucas

    O julgamento do Mensalão havia acabado. Todos foram condenados. Inclusive três dos maiores representantes do partido e do governo. O país respirava, aliviado.
    Lewandóvsky e Tófolli choravam num canto, copiosamente. Joaquim Barbosa estava nos braços do povo.
    O PT havia afundado nas eleições municipais. Lula não tinha eleito nenhuma das suas criaturas e, pela primeira vez, o partido não havia chegado ao segundo turno em São Paulo.
    Gilberto Carvalho não parava de imprecar contra “aquela coisa lá do outro lado da rua”. “Dói”, dizia ele, referindo-se à justiça.
    Lula estava refugiado no Palácio, como em 2005, depois que Duda dera aquela declaração de que um país inteiro tinha sido feito de trouxa. Desesperado, apenas repetia, a esmo, olhando para o vazio: “O mensalão não existe, o mensalão não existe, o mensalão não existe”.
    Então, um assessor especial se aproximou dele e sussurrou ao seu ouvido: “Bem que eu lhe falei que aquilo não ia dar certo.”
    Pano rápido

    Curtir

  3. Comentado por:

    JACUTINGA

    Muito sério e importante, leiam…
    Se a postura do Ministro Barbosa ainda não mudou o panorama político, pelo menos deu esperança a dezenas de milhões de brasileiros de que ainda poderemos melhorar e evoluir como nação livre, civilizada e democrática.
    O ministro Joaquim Barbosa é um brilhante exemplo de que não é a tonalidade da pele, as circunstâncias históricas ou origem familiar que fazem um Homem. O passado fez nosso presente mas, o importante é o nosso FUTURO !
    O que faz um Homem é seu caráter, sua determinação, sua coragem e sua honestidade ! Assim sendo, respeita e é respeitado.
    O que desejo como nosso futuro governante, não é alguém que “torça” pelo meu time, tenha nascido onde nasci, tenha a minha ou até não tenha religião, goste do que eu gosto ou que tenha as mesmas opiniões que tenho. Não me importa que seja homem, mulher, gay, belo ou feio, jovem ou de mais idade, simpático ou antipático, negro, branco, pardo, amarelo, são ou meio “tortinho”.
    O que importa é que não discrimine nem deixe que discriminem.
    O que me importa é que cumpra a constituição, cumpra e faça cumprir as leis sem ver quem é quem e faça valer a vontade da maioria, respeitando a minoria.
    Que lute pela igualdade de oportunidades. Que não inveje, privilegie ou se submeta ao mais rico ou poderoso nem escarneça, desmereça ou submeta o mais fraco ou pobre !
    Que seja firme, tenaz, veraz, determinado e esforçado !
    Que seja casado com a democracia e amante da liberdade !
    O que eu, e creio a imensa maioria do povo quer é seriedade, honestidade, respeito à propriedade e liberdade com responsabilidade e, em síntese, que façam cumprir as leis !
    Obrigado Ministro Barbosa (O Homem da capa preta), por nos devolver a esperança no futuro!
    Ministros como Celso de Melo e Joaquim Barbosa honram a brasilidade !!!
    Jacutinga da Mata Atlântica
    Comente

    Curtir

  4. Comentado por:

    caio portella

    Amigo Augusto:Esse “buchicho”abaixo teria algum fundamento?Se tiver,é encrenca pra mais de metro,e esse baba ovo ministro do Lula tem muito que explicar.
    Senão VEJAmos:
    TEM ALGO DE PODRE NO REINO..DO BRASIL PETRALHA,o país dos safados,criado a imagem e semelhança do velhaco criador !
    Lewandowski e o Filho de Lula
    Filho de Santo não nasce capeta nem vice-versa.
    A posição do Ministro Ricardo Lewandowski já era esperada – absolvendo 4 réus do mensalão – e vai piorar. Quem tem que se explicar é o próprio Supremo: Como é que, em já se sabendo da amizade com Lula, Lewandowski permaneceu no processo ?
    E mais, porque não foi investigado o que corre na internet, que essa relação é bem mais extensa:
    “O filho do Lula comprou uma casa da mãe desse então Desembargador; e logo em seguida ele foi indicado para o STF, pelo então Presidente Lula”
    “De uma antiga chácara sobrou no centro do condomínio um imenso castelo estilo europeu onde ainda mora a matriarca, Dona Karolina Zofia Lewandowski, conhecida como Dona Carla, amiga de dona Marisa e de Lula e mãe do novo Ministro do STF, Enrique Ricardo Lewandowski. A mansão de Lulinha é a de número 737. O fato pode ser confirmado pela Ativo Imóveis, (14) 3531-6969”.
    O povo brasileiro tem o direito a uma resposta: Isso é verdade ou é mentira ???
    Embora nada disso comprove corrupção, o mais elementar em um processo judicial, no entanto, é que juiz, jurados e réus não podem ter qualquer tipo de relação pessoal ou comercial. Isso bastava para que o Ministro Ricardo Lewandowski não participasse do processo.
    Com a palavra o STF.
    Caro Caio, repassarei o recado ao Augusto. Um abraço, Júlia Rodrigues.

    Curtir

  5. Comentado por:

    marcos

    O comunismo ploriféra como mato nos países de terceiro mundo ,onde vivem pessoas extremamente ignorantes, que por desconhecimento provido pelo regime comunista ,que mantem a ignorancia para beneficio próprio,não sabem se quer oque é direitos humanos e,os fazem acreditar que a democraciaa,a igualdade social,a justiça,o acesso a uma boa educação, ha saúde ,honestidade ,transportes dignos,o uso correto dos impostos,a prisão de corruptos ,etc…,é coisa de americano ,e que tudo isso é ruim,por tudo isso as poucas pessoas que ainda conseguem ter um pouco de lucidez e são do bem,ou mudam para outro país ,ou estão fadadas a viver o resto da vida nessa terra de ninguem que o lula criou.

    Curtir

  6. Comentado por:

    DIROFF

    Entenderam agora porque o Bolsonaro disse em 1999(acho): “…é isso que dá torturar e não matar.” Gente. Tem coisas que são inevitáveis, pois poderão trazer problemas futuros. Será que esta não seria uma destas coisas?????

    Curtir

  7. Comentado por:

    Flavio Seibt

    PARABÉNS MINISTRO VOSSA EXCELÊNCIA, JUNTO COM O MINISTRO BARBOZA, AINDA ME ME PERMITE TER ESPERANÇA QUE, UM DIA, O BRASIL SEJA DESCENTE.

    Curtir

  8. Comentado por:

    Fabio

    O que não dá pra entender é como que no domingo vários prefeitos do PT, ou pertencentes a coligações que o incluem, ganharam votos.

    Curtir

  9. Comentado por:

    Cândido

    Se o mensalão não existiu José Dirceu não vai ser condenado, mas, se existiu e for condenado o glorioso ex-ministro, quero ver se ele compre a palavra quando disse que ¨não cairá calado ¨ e denunciará o chefe da quadrilha do mensalão.

    Curtir

  10. Comentado por:

    Júlio Cardoso

    O ZÉ DIRCEU DEVERIA SER CANONIZADO COMO SANTO DO PT. UM MÁRTIRE QUE DEU A SUA VIDA PELO BRASIL. UM INJUSTIÇADO… SÓ NÃO PEDIU PARA SER CHAMADO DE HERÓI. MAS ELE É MUITO ENGRAÇADO: A CÂMERA FEDERAL CASSOU O SEU MANDATO, AGORA É O SUPREMO, COM MAIORIA DE MINISTROS COLOCADOS PELO PT, QUE TAMBÉM O CONDENA. ENTÃO, TODOS ESTÃO ERRADOS? OU O ERRADO É O SANTO DE PAU OCO?
    SUA REVOLTA É UNANIMIDADE NO PT? VEJAMOS TARSO GENRO: NO FINAL DE 2005, QUANDO ELE SE LANÇOU CANDIDATO À REELEIÇÃO DA PRESIDÊNCIA DO PT, TARSO GENRO EXIGIU QUE SUA CHAPA EXCLUISSE JOSÉ DIRCEU. POR QUE SERÁ QUE ELE VETOU O NOME DO IMACULADO JOSÉ DIRCEU? ENTRE O CEU E A TERRA EXISTE MUITA COISA QUE A NOSSA VÃ FILOSOFIA NÃO ALCANÇA. OU ALCANÇA?

    Curtir