De volta ao lar

PUBLICADO EM 27 DE AGOSTO “Foi uma conversa muito boa e fazia tempo que eu não conversava com o Lula. Falamos de muita coisa, muita política, sobre o Brasil. E sobre a campanha, como eu sempre disse, que quando começasse de fato e eu soubesse que faria a diferença, entraria. É isso que vou fazer, […]

PUBLICADO EM 27 DE AGOSTO

“Foi uma conversa muito boa e fazia tempo que eu não conversava com o Lula. Falamos de muita coisa, muita política, sobre o Brasil. E sobre a campanha, como eu sempre disse, que quando começasse de fato e eu soubesse que faria a diferença, entraria. É isso que vou fazer, vou entrar”.

Marta Suplicy, vice-presidente do Senado e ex-prefeita de São Paulo, depois no Instituto Lula, informando que resolveu ajoelhar-se outra vez diante do líder da seita, fingir que não foi aposentada pelo chefe, seguir o exemplo do Herói da Rendição, revogar a promessa irrevogável de ficar fora da campanha paulistana, juntar-se ao palanque do candidato Fernando Haddad e sorrir para a posteridade ao lado do parceiro Paulo Maluf.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Marianina

    Em 2011, ela veio a Taboão da Serra, visitar um cardeal aposentado. Á passagem foi tão rápida, que ninguém viu a dita cuja, porque o veículo blindado e vidros escurecidos, passou quase voando. Naquela época era presidente e, nem mesmo vereador do seu partido conseguiu chegar perto dela. agora pelo jeito, ficou mais fácil. Mas, no diz respeito a “Minha casa, minha vida”tem um porém . Ao que parece,só os privilegiados até agora, foram os beneficiados. Quem não é, será que vai ter de ficar , esperando pelo resto da vida, a alegria de conseguir ter a sua tão sonhada casa própria?

    Curtir