A saia da moça e a ira dos boçais

Os estudantes da Uniban de São Bernardo engolem em silêncio mensalidades abusivas, professores medíocres e o sistema de ensino que fabrica fortes candidatos ao desemprego. Só não engolem uma jovem com a saia curtíssima. Os estudantes da Uniban aceitam com mansidão bovina a corrupção institucionalizada, os impostos extorsivos, os pelegos delinquentes da UNE, a roubalheira federal, a procissão de escândalos, a decomposição […]

Os estudantes da Uniban de São Bernardo engolem em silêncio mensalidades abusivas, professores medíocres e o sistema de ensino que fabrica fortes candidatos ao desemprego. Só não engolem uma jovem com a saia curtíssima. Os estudantes da Uniban aceitam com mansidão bovina a corrupção institucionalizada, os impostos extorsivos, os pelegos delinquentes da UNE, a roubalheira federal, a procissão de escândalos, a decomposição moral do Brasil. Só não conseguem controlar a indignação e domar a cólera se  aparece uma jovem com as pernas à mostra.

Leiam o que escreveu meu amigo Reinaldo Azevedo. Confiram o video. Está tudo lá. A idiotia é contagiosa, confirma o comportamento abjeto da multidão que toma de assalto o campus da Uniban em São Bernardo para condenar ao linchamento a aluna audaciosa — e tentar executar a sentença. O que há com o Brasil que está ficando cada vez mais jeca, mais selvagem, mais boçal?, estaria perguntando Nelson Rodrigues.

Se aparecesse assim na faculdade em que estudei, a protagonista do espetáculo da nudez ousadamente sugerida, um quase nada perto do que se vê em qualquer praia, seria aplaudida de pé, eleita por unanimidade madrinha de todas as festas de formatura de todas as turmas, celebrada por poetas em êxtase com a materialização do sonho de todos os estudantes de todos os tempos, eternizada num monumento na entrada do prédio. Inspiradora de uma campanha liderada pelo centro acadêmico, com a adesão unânime do corpo docente e apoiada também pelos ex-alunos, a jovem das coxas visíveis a olho nu acabaria tombada pelo Patrimônio Histórico.

Neste outubro de 2009,  escapou por pouco da morte a pauladas. A Era da Ignorância vai tornando o país cada vez mais primitivo. Cada vez mais parecido com essa gente que o governa.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Hera

    O que podemos esperar dos estudantes hoje? Vejamos a Uniban, o escandalo por causa de uma mini-saia,mas pela exploração e injustiças, ninguem se importa. Estudam para quê? Vejamos os alunos da Usp, fazem greve por causa de festas, por que não querem educação à distância… Ou seja, querem perpetar a ignorância, a delinquencia, a criminalidade, a violência…
    Cadê os jovens idealistas do nosso país que sonham com um país melhor PARA TODOS? Ou será que agora a luta é cada um por seus interesses particulares? Para perpetuar o imperialismo?…

    Curtir

  2. Comentado por:

    Hera

    Hoje assisti ao fantástico e passou a Geisy, ela está muito bem, foi convidada para desfilar no carnaval . Fiquei feliz! E isso só foi possível graças à vocês, graças ao jornalismo!!!!
    Ela disse que ainda quer fazer mais algumas mudanças, bom pelos comentários sobre ela, acredito que algumas mudanças internas na sua forma de pensar sobre os homens seria bom! Mas ela é um ser humano, e tem todo o direito de aprender! No mais,
    PARABÉNS AUGUSTO! PARABÉNS REVISTA VEJA!
    Se não fossem vocês, a moça depois de humilhada seria expulsa como um cachorro, por causa de uma mini-saia…. Quantos casos não existem por aí que passa batido pela sociedade.
    Depois querem acabar com a liberdade da imprensa! A Uniban também queria proibir a divulgação dos fatos, não é mesmo?
    Que sociedade é essa que a imagem vale mais do que a vida e os sentimento humanos!
    O que resultou da polêmica da imprensa: Um ser humano livre do preconceito e reconhecido nos seus direitos!
    Augusto você é demais!!!!!

    Curtir

  3. Comentado por:

    f tavares

    AN,
    sem sacanagem ! você é testemunha de que fui um dos mais revoltados com essa brutalidade cometida na unibambi… mas tenho visto umas fotos da gordota, esqueci o nome, que virou celebridade nesse carnaval vale-tudo aqui do rio. quero pedir desculpas à unibambi, porque concluí que não foi preconceito o que fizeram com ela… o reitor e a turma que vaiou a moça, queriam preservá-la, porque a moça é uma quase-baranga, ficou devendo a todos os que não a viram de perto… duvido que vá à praia em ipanema.
    sds, FT
    Pois é, grande f tavares. Veja o que os animais conseguiram. Transformaram a quase-baranga em baranga célebre por um mês. abração, Augusto

    Curtir

  4. Comentado por:

    Maria Luisa

    Hoje resolvi dar uma olhada nos novos comentários sobre o assunto e contrariando a maneira como penso (novamente), porque ainda teimo em acreditar no bom caráter e sensibilidade das pessoas, me surpreendi lendo o comentário de alguém que se denomina “tavares”. Em seu comentário, sarcástico, maldoso, preconceituoso e vulgar, ele chama a moça, a que foi humilhada, vaiada quase linchada de “baranga”; “gordota”; então dei uma pausa e comecei a pensar: como as pessoas são cruéis; como se acham sempre melhores em tudo que as outras; como é fácil e prazeiroso para alguns, focarem sua visão distorcida e maldosa sobre detalhes do corpo de outra pessoa; que desgraça ambulante que certas pessoas são, que não possuem a grandeza de se colocar no lugar do outro para sentir o quanto um pequeno comentário pode fazer um mal irreparável na alma de alguem.Como as pessoas mais imperfeitas se julgam perfeitas.Criticar o corpo de alguem é o maior sinal de pequenês intelectual, moral e espiritual;a maneira perfeita de se mostrar um ser menor, que não consegue, não alcança uma maneira de enxergar alguem além do que o ôlho vê! Falta provavelmente preocupação com a espiritualidade com a grandeza de sentimentos, que é o que realmente diferencia os seres humanos; a partir daí tenho certeza, consegue-se enxergar muita coisa além de carnaval, corpo feio ou bonito, praia de Ipanema. Enfim, como dizia minha mãe que era de uma sabedoria simples mas perfeita: temos que ter paciência, evolução é demorado mesmo!

    Curtir

  5. Comentado por:

    ZULEIKA AMARAL

    Augusto:a nossa opinião sobre este caso “UNIBAN” é
    um pouco diversa.Longe de apoiar a violência contra
    a “GEISY”-totalmente condenável!-porém,como mulher,
    afirmo que ela queria,no mínimo,”parar o trânsito”
    dentro da escola.Queria abafar,mesmo,à qualquer preço:lembro-me de que à primeiríssima aparição de-
    la já estava bem visível a CALCINHA BRANCA.Lembro-me de ter pensado que ela,ao menos,deveria ter pos-
    to uma CALCINHA VERMELHA pra combinar com o MICRO-
    VESTIDO.Lembro-me de ter pensado,exatamente,que ti-
    po de mulher era aquela “GORDINHA” tão oferecida e
    ,supostamente,”sexy” que ali estava com a EVIDENTE
    INTENÇÃO DE PROVOCAR UMA ALTERAÇÃO,SIM,SÓ OS OTÁRI-
    OS NÃO PERCEBERAM!|O tipo de mulher que ela é está
    bem EVIDENTE agora,pelas medidas urgentes que tomou
    assim que conseguiu grana suficiente e de sobra,pa-
    ra as mil plásticas indispensáveis para continuar
    iludindo otários.Ainda será uma das mulheres-fruta
    que estão na moda:talvez uma “MULHER-JACA”,coitada!
    ZULEIKA AMARAL

    Curtir

  6. Comentado por:

    Rute da Silva

    A Geisa pode muito bem estudar em outra Faculdade, se não for na sua Cidade, existe na capital Paulista diversas Faculdades de Turismo e de outras àreas. O que se refere ao seu traje é muito polêmico, lógico que numa escada aberta subir uma mulher e ficar bem exposta irá causar constrangimento, tumulto , surpresas inesperadas do publico não só universitário como se acontecesse o fato fora da Faculdade. Eu considero a maioria das mulheres cautelosas. Tem uma passarella que fica na Av. Kennedy, ao lado da Vila Olimpia e existe uma escada aberta no final da passarella, tenho observado que a maioria das mulheres evitam subir aquele escada ou sobem com cautela, outra escada que existe no interior do Shopping de Tatuapé, no terceiro ou quarto andar não vejo nenhum mulher parada conversando naqueles andares próximo a escada aberta. A voz da maioria é a voz de Deus, então pode concluir que tem a lei do Codigo Civil, tem a lei da maioria que não foi escrito por um profissional da àrea de Direito, ficando em aberto essa lei que não foi escrita mas pode ser interpretada dentro de um Juizado.

    Curtir

  7. Comentado por:

    Rute da Silva

    Todos os casos são questionados não só pelos alunos do Uniban e sim por todos os cidadoes, não vamos misturar tudo, foi um caso novo e inusitado, porém esses casos devem acontecer fora de uma Universidade e são contados somente para a família e amigos da região ou dentro dos òrgãos públicos. Se o caso tivesse acontecido dentro de um barzinho a vítima iria reclamar para o órgão público, sua família e amigos. Não é um fato tão raro assim. Se fizer uma estatistica na Secretaria da Segurança Pública podemos saber quantos casos acontecem de mulheres que são vitimas de abusos sexuais e de outros crimes semelhantes que são contados para a família e amigos ou talvez nem contam.

    Curtir

  8. Comentado por:

    Joa

    foi um grande escandalo

    Curtir