Blogs e Colunistas

Arquivo de 1 de março de 2012

01/03/2012

às 23:20 \ Sanatório Geral

Ministro da Cretinice (2)

“O quadro negro é um instrumento do século XVIII. O professor, do século XX. E os alunos, do século XXI”.

Aloízio Mercadante, ensinando durante a audiência no Senado que o ministro da Educação é do tempo das cavernas.

01/03/2012

às 21:44 \ Direto ao Ponto

O Ministério da Pesca e Aquicultura representa, em proporções bíblicas, o milagre da subtração do lulismo

 CELSO ARNALDO ARAÚJO

Criada em 2003 como secretaria especial para “formulação de políticas e diretrizes para o desenvolvimento e fomento da produção pesqueira e aquícola”, nos sete primeiros anos a pasta esteve posta em marasmo ao nível dos lambaris, sob os cuidados de dois burocratas semi-invisíveis, José Freitsch e Altemir Gregolin, até receber de Lula, em 2009, o caniço, o samburá e a rede de arrastão dos ministérios “aparelhados” ─ instituídos exclusivamente para conchavos partidários, negociatas diversas e acomodação da vagabundagem companheira.

Ideli Salvatti, a primeira “ministra” dessa nova fase, tinha a seu dispor uma equipe de 67 funcionários ─ cuja importância, no conjunto da obra, pode ser medida por um exercício de hipótese: será que o extermínio sumário desse ministério de águas turvas afetaria o destino de uma única tilápia ou do mais carente dos caiçaras? Examine-se o quadro da pesca do Brasil antes e depois da farsa.

O sucessor de Ideli no falso ministério foi um sabujo chamado Luiz Sérgio Nóbrega de Oliveira, cuja mediocridade adaptou-se bem à insignificância funcional da pasta ─ leitor diário e inveterado dos principais jornais e portais do país, incluindo os obituários, não me recordo de ter lido qualquer menção a ele ou à “Aquicultura” brasileira nos oito meses em que essa sumidade teve status de ministro. Dizem ter sido demitido em férias, como é próprio dos sabujos, sem quê nem porquê.

O Ministério da Pesca e da Aquicultura agora pertence ao “bispo” senador ou senador “bispo” Marcelo Crivella ─ não importa a ordem, um termo desmerece o outro. Ingenuamente, analistas de bom calibre questionaram que a pasta tenha sido entregue a quem provavelmente só conhece peixe da travessa de bacalhau do Antiquarius. Menos mal, não apelaram para a passagem bíblica da multiplicação dos peixes a justificar a unção de Crivella como ministro ─ os “bispos” da Universal só conhecem e citam as passagens do Livro Sagrado que embasam ou estimulam, mesmo alegoricamente, o assalto pecuniário à fé dos fiéis.

Digo ingenuamente, para não dizer cinicamente, porque a última coisa que Dilma espera de seu novo ministro da Pesca é que entenda de pesca ─ como não entendiam Ideli e Luiz Sérgio. Este ficou no cargo durante o breve interregno em que caía um ministro ladrão atrás do outro ─ o material de manobra então era melhor e mais nobre para a gatunagem. Agora que a reforma que nunca começou foi encerrada, o Ministério da Pesca voltou a ser a única reserva técnica para os conchavos. A pasta foi criada não para entendidos em piscicultura, mas para experts na pior e mais indecente forma de fazer política que caracteriza até aqui os nove anos de lulismo.

No caso específico de Crivella, o Ministério serve de isca podre para as eleições municipais paulistanas, coisa de peixe graúdo, e para tapear os ferozes e insaciáveis barracudas da bancada evangélica ─ que reúne as figuras mais diabólicas do jogo político contemporâneo.

Mesmo sendo uma excrescência, o uso permanente do Ministério da Pesca e Aquicultura pela presidente Dilma como peão de sacrifício no xadrez imundo do tabuleiro da base aliada é uma ofensa às criaturas marinhas ─ e a todos que não respiram bem nesse mar de lama.

01/03/2012

às 21:20 \ Sanatório Geral

Ministro da Cretinice

“O MEC não tem culpa de o Brasil ser tão grande e diverso”.

Aloízio Mercadante, ministro da Educação, durante audiência no Senado, ao atribuir os naufrágios do Enem ao tamanho do Brasil, infinitamente menor que a incompetência, o cinismo e a cretinice dos integrantes do primeiro escalão de Dilma Rousseff.


01/03/2012

às 19:16 \ Sanatório Geral

Ah, bom! (214)

“Ele nunca disse que deixaria de apoiar o Serra”.

Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência e caixa preta do PT, explicando que os encontros de figurões do partido com Gilberto Kassab foram promovidos para consolidar a aliança entre o PSD e o PSDB na disputa da prefeitura de São Paulo.

01/03/2012

às 19:16 \ Direto ao Ponto

Waldomiro Diniz e José Dirceu merecem voltar a conviver num pátio de presídio

Depois de Marcos Valério, condenado em 14 de fevereiro a 9 anos de prisão, chegou a vez de Waldomiro Diniz. Nesta quinta-feira, a juíza Maria Tereza Donatti, da 20ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, sentenciou a 12 anos de cadeia o protagonista do escândalo que abriu o festival de horrores da Era Lula. É esse o título do post publicado na seção O País quer Saber em 30 de abril de 2009, exatamente sete dias depois do nascimento da coluna. Reproduzido agora na seção Vale Reprise, o texto é um retrato 3×4 do crápula que José Dirceu presenteou com um empregão na Casa Civil.

Waldomiro e Dirceu nasceram um para o outro, atesta a convivência mais que fraternal dos amigos que dividiram um apartamento em Brasília antes de se tornarem vizinhos de sala no 4° andar do Palácio do Planalto. Se a maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal mirar-se no exemplo dos juízes que castigaram Marcos Valério e Waldomiro Diniz, e cumprir seu dever no julgamento dos mensaleiros, Dirceu poderá reencontrar o amigo num mesmo presídio. Nos banhos de sol no pátio, a dupla terá tempo de sobra para recordar os bons tempos em que o Brasil foi reduzido a um viveiro de criminosos impunes.

01/03/2012

às 19:03 \ Direto ao Ponto

Começou a disputa do HSV de Março

Confira na seção Homem sem Visão.

01/03/2012

às 17:31 \ Homem sem Visão

Recomeça a disputa do troféu que ninguém quer ganhar! Que vença o pior!

Recuperada dos excessos carnavalescos, a comissão organizadora do concurso Homem Sem Visão finalmente voltou ao trabalho nesta quinta-feira. Depois de uma reunião de 15 minutos, os cinco integrantes decidiram, por unanimidade, abrir imediatamente a inscrição de candidatos ao título de HSV de março. Para evitar injustiças, serão aceitas candidaturas de quem andou protagonizando lambanças em janeiro e fevereiro.

A partir deste momento, os leitores poderão lançar candidaturas ou manifestar sua preferência por qualquer inscrito em comentários enviados a esta seção. Todos os participantes da disputa serão homenageados com a publicação de textos evocando a vida e a obra do candidato. A votação do primeiro turno se estenderá até o dia 25, quando os quatro mais votados começarão o duelo final na enquete.

Começou a eleição que ninguém quer ganhar, amigos! Que vença o pior!

01/03/2012

às 16:44 \ Direto ao Ponto

Demétrio Magnoli: Heraldo, a cor e a alma

No artigo reproduzido na seção Feira Livre, o sociólogo Demétrio Magnoli disseca a campanha racista movida por Paulo Henrique Amorim contra o jornalista Heraldo Pereira, da TV Globo, e escancara a sordidez da esgotosfera.

01/03/2012

às 16:06 \ Sanatório Geral

História de pescador

“Esse acordo não tem qualquer vinculação com a eleição em São Paulo”.

Celso Russomano, candidato do PRB à prefeitura de São Paulo, sobre a nomeação do companheiro de partido Marcelo Crivella, afirmando que o novo ministro foi escolhido porque, diferentemente dos antecessores Luiz Sérgio e Ideli Salvatti, sabe distinguir um camarão de um lambari.

01/03/2012

às 15:31 \ Direto ao Ponto

A nomeação de um ministro da Pesca que só sabe fisgar evangélicos incautos encerra a reforma ministerial que não houve

Os jornalistas federais avisaram ainda em agosto que, até o fim de fevereiro, Dilma Rousseff promoveria a grande reforma ministerial concebida para, simultaneamente, livrar o primeiro escalão do entulho herdado do padrinho,  torná-lo mais parecido com a chefe e reduzir o tamanho do mamute administrativo. Nos meses seguintes, gastaram quilômetros de páginas de jornais em graves reflexões sobre o que seria o começo efetivo do governo da superexecutiva que Lula deu de presente ao Brasil.

As mudanças começaram no dia 6, com a troca de seis por meia dúzia no Ministério das Cidades: saiu Mário Negromonte, do PP baiano, entrou Aguinaldo Ribeiro, do PP paraibano. E foram encerradas nesta quarta-feira, com a substituição do companheiro Luiz Sérgio pelo parceiro Marcelo Crivella no Ministério da Pesca. O colosso formado por 38 ministérios e secretarias especiais (com status de ministério) não perdeu um único e escasso cabide de empregos.

Luiz Sérgio, uma nulidade que já naufragara no Ministério de Relações Institucionais, foi piorar a bancada do PT na Câmara dos Deputados. Crivella, um espertalhão que já envolveu até o Exército em projetos eleitoreiros nos morros do Rio, deixou o Senado para representar a bancada evangélica na Esplanada dos Ministérios. Entende tanto de pesca quanto Ideli Salvatti, ex-inquilina do gabinete que ganhou. Mas sabe fisgar eleitores que acreditam na pregação malandra: dinheiro na sacolinha garante prosperidade na Terra e um latifúndio no Reino de Deus.

Governar é escolher, sabe-se desde que o primeiro chefe de um grupo composto por homens das cavernas entendeu que precisa de ajudantes. Presenteada com a chance de reduzir a multidão de ministros, liberada para o despejo dos gatunos e vigaristas que infestam o coração do poder, autorizada pelas atribuições do cargo a nomear quem quisesse, Dilma limitou-se a incorporar dois prontuários ao bando que continua do mesmo tamanho. A reforma que não houve comprova que a supergerente de araque escolhe ministros tão judiciosamente quanto um bebê de colo.

De novo, os jornalistas federais erraram todas. Ou quase todas: com Crivella e Aguinaldo Ribeiro, o ministério ficou mesmo ainda mais parecido com Dilma Rousseff.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados