Blogs e Colunistas

07/02/2011

às 7:05 \ Economia

Em Dia: por que os bancos têm lucros tão grandes no Brasil

Em 11 de agosto de 1993 VEJA publicou reportagem de capa sobre como os bancos continuavam se dando bem enquanto o resto do país vivia uma gravíssima crise econômica. De lá para cá, as principais instituições financeiras do país continuam registrando lucros altos, algumas com recordes Entenda como o setor vem reagindo às bruscas mudanças de ambiente econômico pelas quais o Brasil passou nos últimos anos.

O que dizia a reportagem de VEJA:
Faz parte da tradição das grandes companhias comemorar os lucros e desculpar-se com os acionistas pelos prejuízos em seus balanços. Nos últimos dias, algumas das principais instituições financeiras do país divulgaram os resultados do primeiro semestre de 1993. Os ganhos são altos, mas os bancos pareciam meio constrangidos ao apresentá-los. Como todo mundo, gostam de ganhar dinheiro, é óbvio. Mas quanto menos se falar no assunto melhor para eles. Entre janeiro e junho deste ano, o Bradesco, o maior banco privado brasileiro, teve um lucro de 161,6 milhões de dólares. É dinheiro gordo. O Itaú, o segundo da lista, acumulou um lucro de 125,7 milhões de dólares no primeiro semestre. Mergulhou numa piscina de dinheiro 35% mais cheia que a do primeiro semestre de 1992. O Unibanco afagou 40,7 milhões neste ano, contra 29,9 milhões nos seis primeiros meses de 1992, sempre em dólares. É fascinante, espetacular, incrível. É um espanto como esses bancos conseguem ganhar dinheiro.

Como em todo lugar do mundo, os banqueiros nacionais ganham dinheiro cobrando juros. Na verdade, ganham com a diferença entre os juros que pagam e os juros que cobram. Com a inflação de 32% ao mês, eles exigem taxas muito mais elevadas que seus colegas estrangeiros devido ao risco de o capital ser pulverizado pela hiperinflação ou pela inadimplência de credores duvidosos, como o próprio governo federal. Os estaduais, diga-se, são piores ainda. Assim, no governo Collor, os bancos chegaram a cobrar uma baba de dinheiro (40% de juros reais ao ano) pela compra de títulos públicos.

Para os bancos, aquilo que é a maior desgraça nacional – a inflação – transforma-se numa galinha dos ovos de ouro. Só a má-fé justificaria a afirmação de que os banqueiros, todos eles, torcem para que o Brasil vá mais para o abismo inflacionário, apenas para que seus lucros aumentem. Isso não impede que os bancos façam o possível para tirar o máximo – e tiram – de uma situação que não foi criada por eles. A rede bancária nacional passou por um emagrecimento nos meses seguintes ao confisco dos cruzados novos no Plano Collor, voltou a crescer e tem hoje quase o mesmo tamanho que o do início de 1990, quando a inflação chegou a 80% ao mês.

Os resultados dos bancos de 1993 até os dias de hoje:
Quando o Plano Real cortou a jugular da inflação em 1994, os analistas disseram que os bancos sofreriam para sobreviver com estabilidade financeira. Depois, previu-se que seriam engolidos pelos bancos estrangeiros, tidos como mais eficientes, modernos e adaptados à vida sem inflação. Por último, alguns especialistas estimaram que o lucro dos bancos despencaria na mesma proporção que a taxa básica de juros definida pelo Banco Central. Os balanços dos grandes bancos do país, contudo, não refletiram essas previsões. Mais de uma década depois da publicação da reportagem de VEJA, os bancos líderes do mercado formavam o setor da economia que mais rápida e eficientemente reagiu às bruscas mudanças de ambiente econômico pelas quais o Brasil passou. Mesmo com inflação relativamente baixa e eventuais cortes de juros, os lucros continuam quebrando recordes.

De fevereiro de 2003 até fevereiro de 2004, por exemplo, a Selic caiu 10 pontos porcentuais. Foi de 26,5% ao ano para 16,5%. Ela é alta em termos comparativos e quase exorbitante quando se extrai dela o item em que o Brasil é campeão mundial, o juro real. Mas, mesmo com a queda de 10 pontos na Selic, o lucro dos bancos cresceu no mesmo período. A comparação com os números de 1993 mostra o grau de crescimento dessas instituições: o Itaú, que lucrara 125,7 milhões de dólares no primeiro semestre daquele ano, fechou 2003 lucrando 3,1 bilhões de reais – cerca de 1 bilhão de dólares. O Bradesco teve um lucro de 161,6 milhões de dólares na primeira metade de 1993; no balanço de 2003, contou 2,3 bilhões de reais de lucro. Os resultados são históricos quando não se leva em conta o efeito da inflação. Em um período de Selic declinante, o lucro do Bradesco aumentou 14% e o do Itaú, 32,6%.

Os dez maiores bancos instalados atualmente no Brasil tiveram um lucro superior a 1000% nos últimos dez anos. As instituições financeiras brasileiras sobreviviam basicamente de emprestar dinheiro ao governo na era da inflação. Agora que reencontraram a sua vocação real, de financiar o consumo e o investimento privado, descobriram que podem ganhar muito mais. Essa fase de ouro ficou ainda mais evidente em 2008, momento em que os maiores bancos europeus e americanos sangraram com perdas bilionárias, resultado de apostas equivocadas no mercado hipotecário – o que resultou na crise financeira que chacoalhou o mundo até 2009. O Banco do Brasil alcançou em 2009 o melhor resultado de sua história, com um lucro de 10,148 bilhões de reais e crescimento de 15% em relação a 2008, seguido pelo Itaú Unibanco – gigante resultante da fusão em 2008 – com 10,067 bilhões de reais no mesmo ano. No início de 2011, o Bradesco anunciou ter registrado lucro de 10,022 bilhões de reais no ano passado – o terceiro maior da história dos bancos de capital aberto brasileiros.

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

49 Comentários

  1. Quirino

    -

    21/02/2013 às 9:15

    Trabalho com recuperação de empresas. Os únicos créditos que escapam à ordem de pagamento são os tributários e – por que diabos? – os cobertos por garantias fiduciárias dos bancos. Não há risco algum para a atividade bancária no Brasil. Contam um centenas de funcionários públicos lenientes (por complascência ou ignorância) que se omitem na atividade de regulação. Eis o segredo dos impressionantes profits dos bancos no Brasil.

  2. JUPIRA LUCAS ZUCCHETTI

    -

    21/08/2012 às 11:17

    Deixa relatar fato que ocorreu na AGÊNCIA 3551-3 Banco do Brasil localizado no Shopping Unimart Campinas-SP. Em 20/08/2012 por volta de 10:00hs da manhã foi efetuado um saque no caixa eletrônico, só que o dinheiro não saiu da máquina. Foi registrado o saque, mas o dinheiro não veio. Imediatamente foi solicitado providências, e a atendente disse que o valor seria restituido no dia seguinte na conta. Só que até agora 21/08/2012 às 8:47hs ainda não apareceu essa restituição. Agora a pergunta que fica é a seguinte: pelo fato do erro ser da máquina, e não do correntista isso não era para ser resolvido de imediato??!!! Quer dizer que se o correntista não possui outros recursos em conta ele é obrigado a pagar juros e multa de contas que vencerão naquele dia??!! E isso por erro da máquina??!!! E quanto a restituição, quando virá??!!!! Ou vão enrolar mais um pouco para o banco ficar com o dinheiro??!!! Isso não é ROUBO???!!! Ou inventaram outro nome para isso???!!!Será que parte dos “lucros” não vem daí também??!!!!

  3. robado dos bancos

    -

    25/04/2012 às 23:22

    as pessoas estão ingressando com ação judicial para revisão de laienação fiduciária e empréstimos visando adequar os juros a moderação em patamares de mercado, o judiciário já está fazendo sua parte ante as vitórias nessas ações judiciais, o governo açena com possível redução em juros, obs o banco do brasil é público mas lucra mais do que bancos privados eita brasilsilsil

  4. robado dos bancos

    -

    25/04/2012 às 23:17

    os bancos sugam o sangue do povo, o governo não faz nada, os políticos so querem melhoria deles próprios o judiciário bate continência ao executivo e ao legislativo, busquem o judiciário para revisão de contrato de alienação e emprestimos não vamos ser explorados e não fazermos nada.

  5. joao avelar

    -

    12/03/2012 às 22:23

    Francamente há algo de podre no Reino do Brasil. Há quem apelar? Onde estão os legisladores de plantão?Dos regimes a democracia ainda é o melhor mas é preciso frear a ambição humana/deshumana.

  6. hugo

    -

    07/02/2012 às 12:09

    em vez de reclamarem dos lucros bancarios, comprem acoes dessas empresas.

  7. arydovaldo de almeida prado

    -

    07/02/2012 às 11:29

    Banqueiro no Brasil é sinônimo de agiota só que com amparo legal.Garoti
    nho disse que em Portugal morreram de rir quando souberam que banco remu neram o capital em 1% e empretam,em média ,com juroas de 8% os por
    tugueses acham que nós somos uns otários ao darmos tanta grana aos es
    ´pertalhões.

  8. Eduardo

    -

    07/02/2012 às 10:57

    A facilidade com que esse pessoal escreve ‘agiotagem’ para se referir a bancos é incrível. Será que esse pessoal não percebe que as leis do mercado financeiro permitem que instituições bancárias aufiram lucros sem ferir a lei? Será que esse pessoal tem empresas, de modo que operariam com a ideologia estúpida deles no mercado, e sobreviveriam? Ô gente insana!

  9. Jose Otacilio

    -

    07/02/2012 às 10:41

    Pois é, depois de ler esta reportagem minha indignação aumentou. Há 14 anos tento cobrar uma cta. do Bco. do Brasil, uma devolução que o Bco. cobrou a maior (Plano Collor e Verão)na qual pagava 20% de juros e cobrava, em alguns casos, até 80%. Êste financiamento correspondia a um financiamento de custeio agricola e o valor o Banco já recebeu (foi ressarcido) e não me repassa, embora esteja na justiça, recorreu inúmeras vezes dos valores apurados e fica com o dinheiro negociando a juros muito acima do que me pagará (quem sabe um dia receberei). É uma vergonha e a Justiça sempre defendendo o Banco e não o credor dele.

  10. Fabrízio Michelon

    -

    07/02/2012 às 10:19

    Banco tem que dar lucro, infelizmente. Se não der lucro, dá problema para o povo paga. Se não quiser que banco lucre, tem que mudar para o comunismo. O que tem que ser feito é rever as taxas de juros e pelos serviços. Com a concorrência, deveriam ser baixas. Infelizmente o capitalismo tem muitas falhas a serem corrigidas.

  11. DIROFF

    -

    31/01/2012 às 9:25

    Pega dinheiro no banco quem quer.
    O banco não obriga nada, só a pagar o que deve e foi contratado.
    Acontece que o brasileiro “quer expelir o flato superior ao diâmetro anal”, e acaba se arrombando.
    Coitem-se os que pegam dinheiro lá.
    Sejam organizados e normais que isto não acontece!!!!!!!

  12. Ernesto

    -

    29/10/2011 às 22:26

    Considero banqueiro lixo da humanidade, que deveriam ser recicrados e retornassem como ser humano. Banqueiros compram politicos corruptos transformando as leis da constituiçaõ em emendas.

  13. Brasileiro

    -

    02/08/2011 às 10:45

    O que os Bancos fazem é uma agiotagem legalizada. A diferença é, que em caso de calote, os bancos não ameaçam de morte, pois não tem como matar quem já morreu. É isso que o brasileiro é diante dos bancos, falidos, mortos financeiramente.

  14. wilson

    -

    08/03/2011 às 23:10

    sou correntista do itau 5 estrelas e eles merecem estes lucros sim pela performace do banco abrino milhares de agencias investino no brasil eles ganham mas tambem investem no pais

  15. wilson

    -

    08/03/2011 às 23:03

    os bancos lucra muito sim mas e eles que nos oferecem credito vai temtar pegar credito do governo pra ver no brasil a muitos caloteiros e mesmo assim os bancos sobrevivem mesmo com esses maus pagadores e e justo sim estes lucros

  16. helio magdo da silva

    -

    22/02/2011 às 14:15

    Os fabuloso lucros obtido pelo BB, foi feito às custas de alta agio-
    tagem financeira, falta de pagamento de dívidas trabalhistas para com
    ex-funcionários, devidamente assessorado por espertos advogados.

  17. Adilton

    -

    22/02/2011 às 12:44

    Mais uma razão para os que roubaram o Panamericano serem presos. Se não bastasse concorrer com o PCC e Comando Vermelho, roubando o banco, demonstraram incompetência em relação aos gestores de bancos que tiveram lucros.

  18. Antonio Castro

    -

    22/02/2011 às 11:54

    Quando se trabalha se quer lucro, os bancos com eficiência e malandragem acabaram por conquistar esse objetivo.Não é justificável o Spreed bancário ou os juros que cobram aos usuários, por outro lado a justiça não garante ao banco que os que recebem empréstimos paguem suas dividas, não há garantias para o banco, inda mais com esse novo código cívil que protege mais ainda os caloteiros.

  19. Daniel

    -

    22/02/2011 às 11:18

    Karl Marx não considerou os bancos em sua obra capital. Apontou os meios de produção como alvo principal. Sou a favor da propriedade privada, mas contra os banqueiros. Hoje em dia os bancos distribuem sorteios disso e daquilo para cativarem os aplicadores, mas todos nós sabemos que isso é para que nos mantenham sob controle. Idéias loucas passam por minha cabeça, mas que gostaria de deixa-las aqui. Por exemplo: por que indexar um cartão de débito à conta corrente e não à poupança (pela qual sabemos que bancos não cobram taxa de serviço)? Existem meios de amenizar as exigências bancárias, mas isto diminuiria os lucros. Então o governo deveria entrar aí, fazendo leis de proteção ao capital nacional e ao investidor privado.

  20. cincinato leite

    -

    11/02/2011 às 18:40

    Querem mudar esta realidade? Perguntem ao Lula por que ele permitiu que isso acontecesse durante seus 8 anos de mandato e continuem votando no PT. Assim, os bancos continuarão bebendo o sangue do povo brasileiro e a Dilma alcançará 100% de aprovação…

  21. beryl de lucena

    -

    11/02/2011 às 17:00

    enquanto as regras não mudam, nós estamos empobrecendo, alguém tem alguma dúvida??? inclusive vocë aí….vocë que não lë jornal, continua morando mal (favela), continua sem emprego, continua pagando juros….

  22. Joel Ribeiro

    -

    11/02/2011 às 16:37

    Oras, o maior banqueiro do país é o próprio governo federal, com cerca da metade do mercado de crédito. Se as instituições federais (Bco do Brasil, Caixa Econ.Federal,BNDES, etc) não fossem tão ineficientes e perdulárias, elas poderiam forçar a baixa do spread bancário.
    Tanto é verdade, que o governo petista que falava, falava, falava, nada conseguiu fazer neste sentido em 8 anos !!!

  23. edson jaardim costa

    -

    11/02/2011 às 14:18

    banco,e ajiotajem legalizada,finaciam campanha politica com dinheiro esplorado de clientes,por que estao comprando os politicos em troca de vavorecimenta.

  24. Mario Camozzi

    -

    10/02/2011 às 19:44

    Impressionante !!! Deveras impressionante !!! Não, não estou falando dos ‘estonteantes e fabulosos’ lucros dos bancos. Se estão ‘ganhando ou roubando’ não é a questão, aproveitam-se das oportunidades. Estou é falando de nossos políticos (Senadores e deputados) lá de Brasília, que não conseguem “enxergar” esse absurdo e as consequencias danosas para a população; esse “vampirismo financeiro” que ‘exaure e debilita o setor produtivo’ e de consequencia, gera o desemprego e os movimentos reativos sociais. Estou falando da ‘miopia’ do Judiciário (STF; STJ; Tribunais estaduais; Distrito Federal; e magistrados de primeiro grau) que embora detendo poderes constitucionais para acabar com essa “orgia/farra financeira” nada fazem; preferem omitir-se e fazer de conta que nada está acontecendo. Uma hipocrisia indescritível. Éo fim dos tempos, fazendo vivo e presente a celebre frase dita por Rui Barbosa: De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto. (Senado Federal, RJ. Obras Completas, Rui Barbosa. v. 41, t. 3, 1914, p. 86)

  25. Artemiza

    -

    07/02/2011 às 16:55

    Nada disto me surpreende, estamos no Brasil que tudo pode,na realidade só quem se ferra é o trabalhador, que faz um sacrifício imenso para viver,pois tem que sustentar um bando de político que não nos representa em nada,que não faz projeto nenhum para melhorar a vida dos brasileiros, e ainda mais essas dos bancos que nos assalta todos os dias e dentro da lei,nosso povo é muito passivo,morrendo e não faz nada para acabar com essa roubalheira de todo lado, onde vamos parar?Só Deus mesmo por nós.

  26. @FelixZiul

    -

    07/02/2011 às 16:17

    Vou fundar uma instituição bancária pra ganhar dinheiro, muito dinheiro!!!
    Quem tá comigo!? :p

  27. Revoltado Com Toda a Situação

    -

    07/02/2011 às 16:06

    é

  28. Edison Becker Filho

    -

    07/02/2011 às 15:47

    Que historia bonita! Penso que nos tratam como crianças, ou pior ainda, como ignorantes. Na década de 90 não entendi o “constrangimento” (talvez pela safadeza!), mas nesta década tivemos a MP nº 1.179 (PROER). Na década seguinte, o governo aproveitou e acredito que os bancos apoiaram a aquisição de grande parcela da divida externa, transformado-a em interna (Quem são os donos dos títulos desta divida interna?). Isto não é competência, mostra como o dinheiro do contribuinte é justamente distribuído. Acredito que muitos brasileiros nestas condições são excelentes administradores.

  29. Ivone Barbosa Fernandes

    -

    07/02/2011 às 15:15

    Agora entendo com muito mais claresa, fiquei viuva e me vi endividada em relação a divida bancaria, mas durante 30 anos de comerciante paguei todas minhas dívidas em dias, com pouco tempo sem movimentar as contas bancárias por motivo de saude estou quase quebrada pela quantidade de juros que atribuiram ao tempo de inadimplente.

  30. Revoltado Com Toda a Situação

    -

    07/02/2011 às 15:12

    Não adianta nada somente reclamarmos de como está a situação no Brasil. Temos é que nos organizarmos e lutarmos pela melhoria da nossa nação e da nossa sociedade, para aí sim termos um país de igualdade à todos. Infelizmente, todos falam, mas nada fazem. Temos que tirar as bundas de nossas cadeiras e começarmos a cobrar de nossos governantes, que só pensam em seus próprios interesses. Por quê a população não sai às ruas para cobrar mudanças radicais que melhorem a vida da população do País? Façamos igual a população do Egito, ou então, é melhor ficarmos calados e aceitarmos o que nos empunham. Não venhamos mais com balelas, chorumelas e reclamando dos acontecimentos neste pais.

  31. Eduardo Capistrano

    -

    07/02/2011 às 14:01

    Os bancos privados cada dia mais ricos e a classe menos favorecida vivendo abaixo da linha da pobreza,por isso que em nosso país vivemos em situações de risco (financeiro), pois é lucrativo para estas instituções;Os bancos informatizados,com filas quilométricas fazendo com que os clientes não dependam de funcionários do próprio banco, economizando com encargos , aumentando os seus lucros e prestando um mal serviço a população!
    O Governo por sua vez, deveria aumentar os impostos sobre o lucro isorbitante, criando um teto e o que fosse arrecadado servisse para custear os programas sociais, com critério!

  32. luiz

    -

    07/02/2011 às 13:31

    E as tarifas? Aqui se cobra até para entrar na agência…

  33. Rosangela

    -

    07/02/2011 às 13:25

    Os senhores banqueiro ou seja dono de bancos torcem pra que a inflacão do nosso pais esteja cada vez mais alta pra que isso suba seus ganhos que já são milhionarios encima do povo brasileiro que já não aguenta mais pagar taxa de juros tão alta que benefia altoridades do nosso governo que continua a roubar enquanto isso o povo brasileiro vai sofrendo sera que no dia de amanha essa cultura ira muda? eu espero que as geracões futura não sofra tanto como a di agora

  34. Domingos

    -

    07/02/2011 às 13:19

    Antigamente pagava-se apenas pela taxa de manutenção da conta.
    Hoje os bancos inventam e reinventam taxas e mais taxas. Em banco tudo é movida a taxa, além, é claro, dos juros astronômicos.
    A pior delas é a de atualização cadastral. Independentemente da resposta ou de qualquer atuação do banco a taxa é cobrada.
    Daqui a alguns dias eles vão cobrar a TAXA DE INGRESSO NO RECINTO BANCÁRIO.
    Um enriquecimento desmotivado de um lado e o empobrecimento desnecessário do outro.

  35. Indignado

    -

    07/02/2011 às 13:14

    Lucra muito , pq não produz , é tudo mecanizado . Mudança Já !

  36. Alvaro

    -

    07/02/2011 às 13:11

    Apenas roubo. Roubo institucionlizado. E a classe média sifu. Se é verdade que as redes sociais fazem revoluções vamos fazer a dos devedores dos tubarões: os bancos brasileiros.

  37. reynaldo moreira

    -

    07/02/2011 às 13:05

    Que os bancos privados lucrem é de se esperar, a agiotagem sempre foi lucrativa, ainda mais quando não há riscos, quebrou, o governo, ou seja, o contribuinte, cobre o rombo. Agora, que o Banco do Brasil atue exatamente como os capitalistas, ou seja, cobrando juros altos, pagando juros baixos e salários baixos aos funcionários, aí é de se admirar, pois ele deveria atuar no sentido de baixar suas taxas, pressionando para a baixa também nos demais bancos. Um banco estatal deveria, por exemplo, cobrar juros mínimos para o cidadão de classe baixa ou média poder pagar o financiamento da casa própria. É bom para todo mundo. Atuando como um banco capitalista, só fomenta a inadimplência. É o estado seguindo a lógica capitalista, é o que se chama neoliberalismo, termo que não é tão vazio quanto apregoam os defensores do mercado sem controle.

  38. Roberto

    -

    07/02/2011 às 12:40

    Naquelaepoca se falva muito em custo Brasil, hoje já não se fala mas em custo Brasil pois o verdadeiro custo é a corrupção e o clientelismo mais
    o fisiologismo dos paridos politicos que só têm aumentado neste País.
    Pois o TCU é só figura decorativa e lugar para empregar Ex ou autais Po-
    líticos.STF na maioria das vezes que têm que julgar mdecide não decidir (veja po Caso Batist).Uma hidrelétrica que custe 600 bilhões de
    doláres em qualquer País decente, aqui vai custar um bilhãoe quinhentos
    talvez mais. Por isso a taxa de juros é tão alta e os bancos ganham o que ganham têm de financiar a corrupção se n~]ao lhe cassam a carta PAtente.

  39. André Fismat

    -

    07/02/2011 às 12:24

    A mão que assalta é só a armada? E os bancos? O crime de omissão é apenas para aqueles que deixam de prestar socorro? E o governo? A submissão é para animais domésticos? E o povo? E assim, nesse país de quase todos, se deita e se rola.

  40. Sebastião Waldir da Silva

    -

    07/02/2011 às 12:21

    Os lucros dos Bancos são tão altos no Brasil porque esses lucros “beneficiam” determinada parcela das “autoridades” de partes dos sistemas arcaicos dos poderes, dos 3 poderes muito bem explicado em nosso livro BRASIL NAÇÃO DE ÊTHOS – HORA DE CHEGAR. Ali, também, os caminnhos a serem trilhados pelos jovens estudantes e universitários para cultuarem um CULTURA NOVA, para um país de futuro JUSTO E HONESTO, EQUANIME no futuro! Com lógica e racionalidade. NO EGITO NÃO ESTARIA acontecendo aquela tragédia se os adultos de hoje, de lá, quando jovens tivessem se preparado para os dis de hoje!
    Sebastião Waldir da Silva.

  41. POBREZA D'SILVA DOS DA SILVA

    -

    07/02/2011 às 11:25

    Beleza, sem considerarmos (quem tira o nosso dinheiro lá no nosso Cofre Central do próprio Orçamento de ano a ano) o BNDES: “Os dez maiores bancos instalados atualmente no Brasil tiveram um lucro superior a 1000 (MIL) % nos últimos dez anos. As instituições financeiras brasileiras… BASICAMENTE DE EMPRESTAR DINHEIRO AO GOVERNO…”, maravilha “chinesa”.
    Ora, nós temos quilométrica e volumétrica, hoje, DÍVIDA INTERNA, pois com quem? Quem empresta Dinheiros ao nosso Governo todos os dias?
    Certo mesmo nós pagamos ano-a-ano Bilhões e assim, nenhum agiota quererá receber a Dívida, pois somente os Juros são Divinos…
    País de m…, de otários, de imbecis, de ingênuos, tem tanta riqueza como tem tanta pobreza…

  42. fernando

    -

    07/02/2011 às 11:21

    Concerteza que é crime organizado mas…. com a conivencia de quem sendo pobre quer consumir como um rico! vejam a qualidade da gente que forma a fila e logo compreenderao. Sempre a pobreza que paga o pato, sempre a pobreza que alimenta as igrejas evangélicas que qual vendolhies do templo, sugam a pobreza sem respeito algum. crime organizado? e a pandilha política? Tenho nojo de viver num Brasil qyue nao ,erece isso!

  43. Bruno

    -

    07/02/2011 às 11:19

    Lindo…

  44. lucio

    -

    07/02/2011 às 10:54

    É UM ABSURDO, mas enquanto o governo pagar altos juros para continuar a a farra da roubalheira de vs. exelencias deputados e senadores, nós pobres coitados vamos continuar a pagar juros altos. pois os bancos não tem muito interesse e nos emprestar barato, uma vez que o governo garante seus lucros. Isso nunca vai mudar, quem acredita que mude, espere sentado. estou com 60 anos e ja vi essa historia a minha vida toda.

  45. Chico Sal

    -

    07/02/2011 às 10:29

    Isso é crime organizado.

  46. Carlos

    -

    07/02/2011 às 10:23

    A explicação é boa mas a chamada (por que os bancos lucram tão alto) tem erro de vernáculo. Pode-se lucrar muito ou pouco (advérbios de intensidade) mas não alto (adjetivo). É como dizer para aquele que está falando baixo “Fala mais grande!”. Disponham.

  47. Flávio

    -

    07/02/2011 às 9:49

    O lucro do Banco do Brasil em 2009 foi inflado com o uso indevido do superavit da PREVI – Fundo de pensão dos funcionários.

  48. Thaise

    -

    07/02/2011 às 9:40

    Ou seja, eles aprenderam a ganhar mais dinheiro com os pobres! rs que financiam, creditando seus consumos…

  49. Edson Mauro

    -

    07/02/2011 às 9:27

    Na verdade, é triste saber desses lucros absurdo,dos bancos,porque esse capital, só favorecem a eles mesmo, de fato sabemos que nosso pais , é o pais que tem mais taixas do mundo, isso só atinge profundamente nada menos que a maior parte do pais que somos nós menos favorecidos , emquanto os grandes empressarios estão enchendo seus bolsos, Ai, me vem a pergunta, até quando iremos continuar nesse braziuzinho de escravidão, onde milhares de empresas entram todos os anos no mercado tercerizar a nossa mão de obra, quando estão fartas, vão e abrem falencia, porque que o sol só podem brilhar para alguns, até quando nossos governantes irão começar a fazerem a coisa justa,a Dilme a Dilma se Deus te tocasse p/ abrir os olhos para o seu antigo mundo, Sh lula tambem,mas quando vc entram na presidencia ai , é como eu falei outrora, só Deus mesmo, para fazer com que vcs lembrem do seu semelhante>>>>

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados