Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Guerra sem fim

O radicalismo islâmico se dissemina como uma metástase

O Estado Islâmico (EI) está prestes a ser derrotado em sua “capital” iraquiana, Mossul, ao mesmo tempo em que forças curdas, com armamento americano, se preparam para atacar Raqqa, a matriz síria do grupo. O secretário de Defesa dos Estados Unidos, general James Mattis, declarou que a estratégia do governo de Donald Trump é de “aniquilação” dos terroristas — em contraste com a do antecessor Barack Obama, que era de “contenção”. Nada disso, infelizmente, inspira otimismo.

O terrorismo islâmico é um câncer contemporâneo que não se restringe ao Oriente Médio ou a focos isolados, mas extremamente perigosos, no Ocidente. Ele continua crescendo onde sempre encontrou terreno fértil e está se espalhando para novos lugares. O atentado com caminhão-bomba que matou cerca de noventa pessoas e feriu outras 400 no distrito das embaixadas em Cabul, capital do Afeganistão, nesta semana, é um doloroso lembrete disso.

De imediato, nenhum grupo reivindicou o ataque. O Talibã é o suspeito de sempre, mas o EI também tem um pé no país. Não é por outro motivo que os Estados Unidos não conseguem encerrar suas operações militares por lá. Em vez disso, o governo americano estuda enviar mais 5.000 soldados, além dos 8.500 que já estão em solo afegão.

O EI também está se expandido para outros países da Ásia. Nas Filipinas, o presidente-troglodita Rodrigo Duterte está às voltas, na ilha de Midanao, com uma antiquíssima rebelião armada islâmica que agora resolveu hastear a bandeira do EI. Em Bangladesh, a violência contra a minoria não muçulmana da população se avoluma.

O radicalismo islâmico se dissemina como uma metástase.

LEIA TAMBÉM:

O homem que virou terrorista para salvar os filhos

Terroristas do EI são torturados pelo exército iraquiano

O Trump das mudanças radicais virou o radical sem mudança

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Guilherme Massao Cobayaxi

    E NÃO TEM COMO NÃO SUSPEITAR Q ESSA MIGRAÇÃO EM MASSA DE MILHÕES DE REFUGIADOS VINDOS DE PAÍSES MUÇULMANOS EM CONFLITO IRÃO CRIAR NOVOS GUETOS ISLÂMICOS NA EUROPA. COMUNIDADES ONDE SABIDAMENTE OS INTEGRANTES, POR COAÇÃO OU POR CONIVÊNCIA, NÃO DENUNCIAM A PRESENÇA DE GRUPOS TERRORISTAS. OU SEJA, SE NÃO HOUVER TBM UMA RADICALIZAÇÃO NO COMBATE AO TERRORISMO, O MEDO INFELIZMENTE SE TORNARÁ PARTE DO COTIDIANO NOS PAÍSES MAIS VISADOS.

    Curtir