Edição 1920 . 31 de agosto de 2005

Índice
Claudio de Moura Castro
Millôr
Diogo Mainardi
Tales Alvarenga
André Petry
Roberto Pompeu de Toledo
Carta ao leitor
Entrevista
Cartas
Radar
Holofote
Contexto
Datas
Auto-retrato
Veja essa
Gente
VEJA Recomenda
Os livros mais vendidos
 
 

Cartas

 
"Fico indignado ao ver que ainda existem pessoas que acham haver um complô jornalístico contra o governo do PT."
Gustavo Pugliesi
São Paulo, SP

Escândalo

Fiquei muito indignado com toda essa crise. Tenho apenas 17 anos e não me conformo com esse mar de lama sem fim, em que a cada dia surgem mais e mais denúncias envolvendo integrantes e aliados do PT e do governo. A posição tomada pelo ministro Palocci não me surpreendeu, pois sua linha de defesa foi a mesma de quase todos os denunciados: negar tudo. O Brasil não pode viver em função de apenas uma pessoa para comandar a economia, e, se Palocci estiver mesmo envolvido nesse esquema sujo e desonesto, ele deve ser punido ("A crise dos 100 dias", 24 de agosto).
Felipe Barreto Tolentino
Belo Horizonte, MG

Sim, a economia agüenta sem ele! Continuamos a sobreviver a 100 dias dessa avalanche de denúncias, à bagunça no Congresso, a um presidente inapto e suas bravatas e às declarações em cadeia nacional de promotoras de eventos suspeitos. Por que não sobreviveríamos a Palocci? Será que não somos brava gente brasileira?
Margareth Sampaio Gouveia
Belém, PA

Já se passaram 100 dias desde o início da crise política que enoja e escandaliza o país. E até agora as CPIs (dos Correios, do Mensalão e dos Bingos) que foram instaladas no Congresso não conseguiram responder a algumas questões da mais relevante importância, entre elas: qual a verdadeira origem do dinheiro do valerioduto? Se realmente existiu o mensalão, quem foram os beneficiados? Qual o real envolvimento do presidente Lula no caso? No ano que vem haverá eleições, e os eleitores ainda se recordarão do desfecho da atual crise.
Gustavo Goes Nogueira
Goiânia, GO

Quero negar com veemência a crença nas palavras de qualquer um desses "senhores" envolvidos no lamaçal criado para "blindar" (palavra tão em voga) a incomPeTência de um governo que nasceu na crença de um povo e se arrasta na "fé" da impunidade.
Sandro Moreira Rossi
Sobradinho, DF

Moro em Frankfurt. Cada vez que penso em voltar ao Brasil perco a vontade ao constatar que a corrupção no país virou uma doença crônica, que atinge até aqueles que pregavam a luta a favor dos desfavorecidos e contra a corrupção. É uma vergonha!
Ana Carolina Caspari
Frankfurt, Alemanha

O mar de lama em que estão envolvidos políticos do mais alto calibre é algo inacreditável. E, no fim, a história vai ser a mesma, uma grande pizza.
Aldrei Zanette
Londres, Inglaterra

Com relação à matéria "O enigma do empréstimo a Lula" ("A agonia de um partido", 17 de agosto), eu gostaria de esclarecer que não procede a informação de que o consultor Antoninho Marmo Trevisan administra as finanças pessoais do presidente Lula, ou de qualquer membro de sua família.
Karla Terra
Assessoria de imprensa – BDO Trevisan
São Paulo, SP

A propósito da festa promovida em minha homenagem no Hotel Nacional de Brasília, na véspera da eleição da mesa da Câmara, eu gostaria de esclarecer que na realidade foi um jantar, amplamente divulgado, com presença de mais de 200 pessoas, inclusive toda a imprensa. Dentre os participantes estavam líderes classistas, reitores de universidades, representantes de pastorais, além de grande número de parlamentares, muitos acompanhados da respectiva esposa. De minha parte, eu estava em companhia de meus filhos, inclusive minha filha de 13 anos, e de minha mãe, senhora de 85. Posso afirmar que as recepcionistas desempenharam com sobriedade, elegância e eficiência sua missão. Estavam trajadas com vestimentas decentes e com nossas camisetas de campanha; portanto, adequadas à vetusta sociedade mineira. O fato de fazerem parte da equipe da senhora Jeany Mary Córner apenas comprova que aquela pessoa colabora com eventos sérios e corretos.
Virgílio Guimarães
Deputado Federal (PT-MG)
Belo Horizonte, MG

A entrevista com o jurista Hélio Bicudo ("Lula esconde a sujeira", 17 de agosto) nos dá a exata dimensão do envolvimento dos principais dirigentes de nosso país no lamaçal da corrupção do PT. Não é preciso provar mais nada, está tudo muito claro. Fiquei emocionada quando li a entrevista, vendo aqueles olhos marejados de lágrimas, e suas mãos entrelaçadas, como alguém que está sofrendo muito com toda essa crise, causada por dirigentes do partido que ele ajudou a criar. Parabéns a VEJA por mais essa entrevista.
Tereza Rodeguer Vorpe
Chambésy, Suíça

 

Lula já sabia

É muito bom assinar e colecionar VEJA. Na seção Radar da edição 1 867 ("Chá de sumiço", 18 de agosto de 2004), há a informação de que existia uma ordem expressa de Lula a José Genoíno: "Lula deu uma ordem expressa a José Genoíno, presidente do PT: quer que Delúbio Soares, tesoureiro do partido, tome um chá de sumiço até o fim do processo eleitoral. Para Lula, quanto menos Delúbio aparecer, melhor para o governo e para o PT". Por que será que Lula queria que Delúbio sumisse? E por que ele não sumiu? Pelo jeito, parece que Lula sabia bem antes de ser informado...
Eduardo Antonio de Faria
Juiz de Fora, MG

 

James Watson

Fiquei assombrado com a entrevista do senhor James Watson (Amarelas, 24 de agosto), no que diz respeito à sua interpretação da teoria da evolução como fato. Embora a ciência ainda não tenha encontrado resposta melhor, é importante citar que vários cientistas de renome são cautelosos quanto à interpretação da teoria da evolução, tal a quantidade de questões cientificamente conflitantes ainda pendentes.
Denis Morales
São Bernardo do Campo, SP

É lamentável a opinião do doutor James Watson a respeito do aborto de fetos com diagnóstico de síndrome de Down. A defesa feita pelo biólogo americano traz, intrinsecamente, a idéia de seleção dirigida da espécie humana, com o objetivo de excluir prematuramente a vida de pessoas que não estejam dentro de um "padrão de normalidade", buscando a formação de uma sociedade de "perfeitos", de "raça pura", experiência que encontra registro na história da humanidade e sempre foi considerada repulsiva.
Antonio Carlos Sestaro
Presidente da Federação Brasileira das Associações de Síndrome de Down
Santos, SP

Uma mente brilhante que, com Francis Crick, deu uma contribuição inestimável à humanidade, mas que parece ter tido a sensibilidade abalada pelo uso extremo da razão.
João Carlos Lamosa
São Paulo, SP

 

Diogo Mainardi

Quero expressar meu total apoio ao jornalista Mainardi ("O empresário Nassif", 24 de agosto). Como um jornalista pode criticar o governo se ele recebe dinheiro público? Essa relação promíscua do governo com o jornalista precisava ser denunciada, e, mais uma vez, Mainardi o fez com sua impetuosa coragem. Digo coragem porque, quando todos apoiavam o presidente Lula (o senhor ética), Mainardi já fazia críticas fundamentadas e bem-humoradas. Parabéns, Mainardi!
Carlos Eduardo Yamamoto
Por e-mail

É triste ter de ver estampada nessa conceituada revista a briga particular do paladino da verdade senhor Diogo Mainardi e do senhor Luiz Nassif. Eles que paguem espaço e briguem à vontade em uma publicação menos importante. Tem tanto assunto relevante e interessante para os brasileiros que só eles não percebem... Por causa do ego, é claro.
Augusto Manoel Cordeiro
Joinville, SC

 

Lya Luft

Nesta fase tão negra por que passa o Brasil, artigos como os de Lya Luft ("Meu país é uma fênix", 24 de agosto) confortam-nos e nos permitem não perder o horizonte da redenção de um povo tão traído.
Simão Horácio Bottesi
Mogi Mirim, SP

Ao ler e reler o belo artigo "Meu país é uma fênix", compartilho com Lya Luft toda a sua inquietação e a sua angústia sobre as patifarias e canalhices que estamos vivendo, e que parecem não ter fim. Contudo, continuo com minha teimosa esperança de que dias melhores virão, depois de toda essa esbórnia.
Heloisa Helena Costa e Silva
São Luís, MA

 

Tales Alvarenga

A coluna de Tales Alvarenga ("Crise de nervos", 24 de agosto) está espetacular. Pena que uma porcentagem tão pequena da população consiga ler VEJA; se fosse maior, o Brasil seria outro. Eu estou fazendo a minha parte. Cinco pessoas que não conseguem fazer a assinatura estão lendo a minha revista. Parabéns, Tales; parabéns, VEJA.
José Mário Piazza
Santa Rosa, RS

Estou com Tales em seu texto "Crise de nervos". O povo não está preocupado com o "risco Severino". A angústia do povo está na urgência de ver os que lideraram esses crimes, formando quadrilhas, serem afastados e devidamente punidos. O governo perdeu a credibilidade.
Jaqueline Oltramari
Porto Alegre, RS

Estou sempre espinafrando VEJA, mas hoje parabenizo o jornalista Tales Alvarenga, que fez uma síntese perfeita do governo Lula – que soube como ninguém ser coquete, deslumbrado, irresponsável, tolo e corrupto.
Milton Guedes Guimarães
São Paulo, SP

 

Danos morais

Bastante oportuna a reportagem "Prejudicou, pagou" (24 de agosto), que vem lembrar aos cidadãos que com um pouco de esforço podemos acabar com a farra do desrespeito aos direitos do consumidor nesta terra onde a educação e a cultura são desprestigiadas. Sou funcionário do extinto 2° Tribunal de Alçada Civil de SP e, de fato, percebemos o grande aumento nas apelações de ações de indenização por danos morais. O que se lamenta é o fato de o Judiciário ainda não contar com condições para responder de forma rápida aos anseios do cidadão, apesar de podermos notar um grande esforço nesse sentido.
Jairo Cunha Lacerda
São Paulo, SP

A reportagem "Prejudicou, pagou" mostra como as pessoas estão cada vez mais decididas a não levar desaforo para casa. As situações citadas mostram a falta de respeito ao consumidor. Errar é humano; erros graves acontecem; e, claro, há casos que pedem indenização, mas as pessoas vão ao tribunal de pequenas causas pedir muito além do que "a pequena causa" poderia custar.
Fernanda Sperotto Pereira
Balneário Camboriú, SC

 

Millôr

Millôr estava muito inspirado ao escrever sua página da edição 1 919. O humor em pílulas, tal qual foi apresentado, parece mais animado. Parabéns a VEJA por ter em suas páginas um dos melhores humoristas do Brasil.
Hermann Werner Hädrich
Rio Grande, RS

 

Veja essa

No festival de lorotas do presidente "pesadelo" inventado por Duda Mendonça, a comparação "...estou aberto como coração de mãe" é infeliz. "Coração de mãe" não é sonso nem irresponsável nem omisso. O coração das mães brasileiras está consciente e sobressaltado de indignação pelo desastroso resultado do engodo e do gollpe do governo e da cúpula do PT. Colocam em risco o presente e o futuro de nossos filhos, do povo e da pátria. O Lula em quem 53 milhões iludidamente votaram, tardiamente percebemos, não existe.
Maria de Lourdes Biagioni
Belo Horizonte, MG

 

FÓRUM MUNDIAL PARA O BEM

Depois de lerem a entrevista com o ex-presidente Bill Clinton (Amarelas, 17 de agosto), alguns leitores, entre eles Ronaldo Batista de Lima, de Miami, quiseram saber mais sobre a primeira reunião mundial da Clinton Global Initiative (CGI). O encontro, idealizado pela Clinton Foundation (www.clintonfoundation.org), reunirá líderes empresariais, trabalhistas e políticos de todo o mundo, entre os dias 15 e 17 de setembro, em Nova York. Informações mais detalhadas sobre o evento estão no site www.clintonglobalinitiative.org.

 

JOAQUIM NABUCO

Por iniciativa do deputado Raimundo Pimentel, a Assembléia Legislativa de Pernambuco mandou transcrever nos anais da casa a reportagem "Uma voz cosmopolita" (10 de agosto), de João Gabriel de Lima. A matéria trata dos diários do político, diplomata e escritor pernambucano Joaquim Nabuco, uma das vozes mais destacadas na denúncia da escravidão no Brasil.

 
 
 
 
topovoltar