Publicidade
buscas
cidades PROGRAME-SE
Edição 1 702 - 30 de maio de 2001
Gente

estasemana
(conteúdo exclusivo para assinantes VEJA ou UOL)
Sumário
Brasil
Internacional
Geral
Economia e Negócios
Guia
Artes e Espetáculos

colunas

(conteúdo exclusivo para assinantes VEJA ou UOL)
Stephen Kanitz
Sérgio Abranches
Diogo Mainardi
Roberto Pompeu de Toledo

seções
(conteúdo exclusivo para assinantes VEJA ou UOL)
Carta ao leitor
Entrevista

Cartas
VEJA on-line
Radar
Contexto
Holofote
Veja essa
Arc
Hipertexto
Notas internacionais
Gente
Datas

Para usar
VEJA Recomenda
Os mais vendidos

arquivoVEJA
(conteúdo exclusivo para assinantes VEJA ou UOL)
Busca detalhada
Arquivo 1997-2001
Busca somente texto 96|97|98|99|00|01


Crie seu grupo




 

Precisa andar muito mais

Fotos Robson Monteiro
teiro
Ciro, em marcha com Patrícia e a descoberto: barriga de campanha

Tal qual um par de vasos, Ciro Gomes, 43 anos, e Patrícia Pillar, 37, o casal-espetáculo do circuito político-artístico, anda mantendo a forma em caminhadas ao redor da Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro – ele, fazendo o giro cada vez mais pela direita. Recentemente, os dois vestiram verde-oliva, camiseta branca, óculos escuros e chapéu. O esforço não está compensando muito: Ciro, num momento de exposição, exibiu uma insuspeitada pança, que o terno e a gravata usuais costumam esconder. A culpa, com certeza, é das maioneses de campanha.

 

Devolvam o que é dela

Vendedora de bolsas pela internet e convidada eventual de festas de celebridades da lista B, Monica Lewinsky, a estagiária de Bill Clinton, resolveu fazer alguma coisa para recuperar a notoriedade desgastada: pediu de volta o vestido azul-marinho que a Justiça requisitou em 1998 e no qual comprovou, por teste de DNA, uma mancha de sêmen presidencial. Monica nem cabe mais na roupa, "mas tem o direito de reaver seus pertences", explicou a porta-voz (sim, a moça tem porta-voz) Judi Nadler. Ela jura que não cogita vendê-lo, mas entre colecionadores malucos o vestido, que custou 80 dólares sem mancha, está avaliado em 500 000 dólares.

 

Quem disse que ela é magra demais?


Glenn Watson/20 th Century Fox
Gwyneth, ao natural, e no filme, com os Farrelly: presente para gordos e feios


Gwyneth Paltrow
já teve de ouvir todas as chateações reservadas às mulheres muito magras: faltam-lhe curvas, sobra decote, é anoréxica e por aí vai. Em seu filme mais recente, Shallow Hal, com estréia prevista em novembro, ela vai à forra. Totalmente irreconhecível, enfiada em uma roupa de borracha e espuma à la Eddie Murphy, com sacos de lentilhas no lugar dos seios, Gwyneth faz o papel de uma mulher de 140 quilos. Mesmo assim, atrai o mocinho, Jack Black, um vigarista que, hipnotizado, passa a ver só a "beleza interior" das pessoas. Segundo os diretores, os irmãos Peter e Bobby Farrelly, o filme é "um presente para todos os gordos e feios do mundo".

 
Letícia, sem cabelo: Deus nos livre

Cuidado com ela

Um ataque de desenfreada ousadia acometeu a atriz Letícia Spiller, 27 anos. Primeiro lançou-se ao desafio de interpretar, no teatro, ninguém menos do que Deus (isso mesmo, Deus) em uma "relação carnal" (isso mesmo, carnal) com uma mulher (isso mesmo, o par de Letícia é mulher) na peça O Falcão e o Imperador. Para esse salto no infinito, rebarbou o papel principal da próxima novela das 8 da Globo, O Clone, e abriu mão do salário. Por último, passou máquina zero no cabelo. Cruzes, parece praga de Maria Regina!



Explorando outras praias

À beira do Mediterrâneo, no pontinho mais lotado de celebridades da Côte d'Azur, brasileiros e brasileiras privilegiados saçaricaram na semana passada. Em Monte Carlo, Simone Abdelnur, piracicabana de 24 anos, ex-modelo, colou no saiote do namorado, o piloto escocês David Coulthard, badalando para cima e para baixo. Ali do lado, em Saint-Tropez, o jogador Ronaldinho divertiu-se sem a patroa numa festinha em que uma das aniversariantes era Naomi Campbell. De tênis vermelho, todo moderno, Ronaldo estava mais chique que a modelo, que exagerou no gênero pague-e-leve. Por fim, no encerramento do festival de cinema de Cannes, Ana Paula Arosio teve seu dia de estrela internacional. Como garota-propaganda de uma marca de tinturas, fez até sacrifício: espichou o cabelo recém-cortado na altura da orelha com um apressado megahair de cachinhos. Quem sabe de birra, prendeu a cabeleira num coque, na noite de gala.

 

Editado por Lizia Bydlowski.
Colaboraram Aida Veiga, Bel Moherdaui,
Ronaldo França e Silvia Rogar


 
 
   
  voltar
   
  NOTÍCIAS DIÁRIAS