PUBLICIDADE

Home  »  Revistas  »  Edição 2162 / 28 de abril de 2010


Índice    Seções    Panorama    Brasil    Economia    Internacional    Geral    Guia    Artes e Espetáculos    ver capa
Ginástica

É tanquinho ou não é?

Antes cobiçado por adultos, o abdômen trincado agora é meta
de adolescentes, que fazem ginástica todo dia para conquistar o seu


Suzana Villaverde

Lailson Santos
TRINCADINHO
André, 12 anos, exibe o resultado
da malhação na academia e em casa


VEJA TAMBÉM

Signo proeminente da boa forma masculina, natural no pessoal que ganha a vida correndo atrás de bolas ou em outras atividades atléticas, mas difícil de obter por quem não tem um longo currículo de exercícios musculares, a barriga tanque, de gomos ultradefinidos como as antigas pranchas de lavar roupa, está se tornando atributo quase obrigatório desde que passou a adornar o abdômen de todo homem bonito, seja ele galã de novela, participante de BBB, lobisomem, vampiro ou uma mistura de todas as opções anteriores. Diante da concorrência, até meninos que estão entrando na adolescência (tradução: magrelos e meio desajeitados) apelaram: deixaram a proverbial preguiça de lado e foram para a academia. O paulistano André Nóbrega Traboulsi, 12 anos, judoca desde os 3, há um ano passou a acompanhar os pais na musculação. "Todo mundo da escola fazia academia, menos eu", justifica o jovem, que dedica meia hora por dia para, especificamente, esculpir a barriguinha. "Faço séries na academia quatro vezes por semana e cem abdominais nos outros dias", contabiliza. É mais do que os instrutores recomendam (veja o quadro abaixo), mas motivo de orgulho na família. "Ele sempre pergunta se o abdômen está trincadinho. E está", elogia a mãe, Alessandra, que supervisiona os treinos.

São meninos que sabem o que querem, e querem barriga definida, mas nada de bíceps e coxas saltando como nos malhadões habituais. "Esse papo de ter 40 centímetros de braço não tem nada a ver", desdenha Fernando Ribeiro, 15 anos, físico de menino e abdômen de dar inveja a muito marmanjo. Todo dia ele sai da aula direto para a academia, onde passa duas horas se exercitando, assim como os amigos Felipe Mattoso, 15, Erick Kuhn, 16, Gustavo Galucci, 16, e Guilherme Neves, 16. Além dos gominhos abdominais, eles compartilham o estilo de roupa e o franjão do cantor adolescente Justin Bieber, que demanda ser jogado constantemente para o lado, numa manobra de estudada displicência. O resultado da malhação costuma ser exibido em fotos sem camisa espalhadas pelas redes sociais. "As meninas reparam. Nas festas, elas pedem para a gente levantar a camisa. Rola uma cobrança", diz Guilherme, que está intensificando os treinos diários para a viagem de formatura que fará em outubro. A barriga tanque que todos sonham um dia alcançar é a do ator Taylor Lautner, 18 anos, o lobisomem da saga Crepúsculo, que no segundo filme da série, Lua Nova, apareceu sem camisa e desbancou o vampiro preferido das adolescentes, Robert Pattinson, 23 – o qual precisou apelar para uma maquiagem abdominal, à la 300, o filme dos malhadões dos tempos da Esparta antiga, para não passar vergonha. No plano nacional, além de Lautner, o abdômen trincado está diretamente relacionado à aparência dos preferidos entre as adolescentes: os Colírios da CAPRICHO, meninos que a revista escolhe para aparecer nas suas páginas e no seu site. Os concorrentes podem variar no cabelo (não muito), nas roupas e na atitude, mas todos têm barriga cheia de gominhos.


Os meninos que malham têm a seu favor as mudanças hormonais características da idade. "Logo após a fase do estirão, que acontece entre 12 e 16 anos, os garotos apresentam maior nível de secreção do hormônio de crescimento e um alto nível do hormônio masculino, a testosterona. Essa combinação facilita o ganho de massa muscular", explica o fisiologista Turíbio Leite de Barros, que avisa: quanto mais tarde se busca uma barriguinha definida, maior a dificuldade. "A partir dos 25, 30 anos, todo mundo começa a perder massa muscular", detona. Diretor técnico da rede carioca de academias A! Body Tech, Eduardo Netto constata que as matrículas de adolescentes vêm aumentando. "Mais do que outras partes do corpo, um abdômen trincado indica que a pessoa se cuida. Para quem malha, é como atingir o último estágio da perfeição", louva. Aos pais que se preocupam com o empenho abdominal de filhos até então sedentários, o fisiologista Barros tranquiliza: sem abusos, é uma prática saudável. "Até os anos 90, a musculação era esporte exclusivo dos aspirantes a Schwarzenegger. O conceito era meio distorcido. Hoje se sabe que exercícios com peso têm uma indicação muito ampla", diz. Além disso, os resultados "são benéficos para a autoestima dos adolescentes numa fase de busca de aprovação". É bom que se ressalte, porém, que mesmo nos mais jovens a barriguinha tanque demanda esforço puxado. Quem voltar a ficar grudado no computador pode perder os gominhos em dois, no máximo três meses.


Tanquinho feito em casa

O ímpeto juvenil é ideal para moldar os cobiçados gominhos a partir
de três meses de esforço, mas tem de dar duro:

• Exercícios aeróbicos de altaintensidade (corrida, bicicleta, natação) quatro vezes por semana, durante no mínimo meia hora

• Abdominais: cinco séries de quinze repetições cada uma, em movimentos lentos e controlados, três vezes por semana, em dias alternados

• Prancha isométrica: deitado no chão, cotovelos alinhados com os ombros, abdômen bem contraído e pernas esticadas, erguer o corpo até ficar na ponta dos pés, reto como uma prancha. Fazer quatro repetições de pelo menos trinta segundos, depois dos abdominais

 

Lailson Santos
MENINAS, CHEGAMOS
Gustavo, Erick, Felipe, Fernando e Guilherme: "Rola uma cobrança"

 

 
EDIÇÃO DA SEMANA
ACERVO DIGITAL
PUBLICIDADE
OFERTAS



Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados