BUSCA

Busca avançada      
FALE CONOSCO
Escreva para VEJA
Para anunciar
Abril SAC
Publicidade
REVISTAS
VEJA
Edição 2066

25 de junho de 2008
ver capa
NESTA EDIÇÃO
Índice
COLUNAS
Diogo Mainardi
J.R. Guzzo
Lya Luft
Millôr
Roberto Pompeu de Toledo
SEÇÕES
Carta ao leitor
Entrevista
Cartas
VEJA.com
Holofote
Contexto
Radar
Veja essa
Gente
Datas
Auto-retrato
VEJA Recomenda
Os livros mais vendidos
 

Holofote

Felipe Patury


APAGÃO NAS USINAS dO RIO MADEIRA

Germano Luders


A construção das hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau, no Rio Madeira, pode empacar. A Odebrecht, que ganhou a concorrência de Santo Antônio, ameaça impugnar o leilão de Jirau. A empreiteira de Marcelo Odebrecht alega que a Suez, ganhadora da obra, mudou a localização da barragem, o que contrariaria o projeto licitado. A Suez também cogita levar a Odebrecht aos tribunais. Os ministros Dilma Rousseff, da Casa Civil, Edison Lobão, de Minas e Energia, e o advogado da União José Toffoli intermedeiam um acordo entre as empresas.

 

O COMPADRE E O LOBISTA

Marlene Bergamo


É temerária a estratégia do PT de investigar o lobista José Amaro Pinto Ramos, que estaria envolvido no caso Alstom e seria ligado ao PSDB. Há dois anos, Ramos se aproximou do advogado Roberto Teixeira, o compadre do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Teixeira freqüenta a casa de Ramos e alardeia que a coleção de pinturas do seu amigo é melhor que a do Masp. Suas afinidades transcendem a pintura. O compadre de Lula se diz especialista em direito aeronáutico. O lobista quer vender aviões à Força Aérea.

 

JOHNS HOPKINS NO BRASIL

Divulgação


O plano de saúde Medial ambiciona tornar-se a terceira maior rede de laboratórios do país até 2010. Para concretizar o projeto, associou-se ao hospital Johns Hopkins, um dos mais prestigiados dos Estados Unidos. A instituição americana fornecerá equipamentos e treinamento de profissionais para os laboratórios Viva e Total, da Medial. Agora, o presidente do plano de saúde, Luiz Kaufmann, negocia a inclusão de onze hospitais no acordo.

 

NOUS SOMMES BRASILEIROS

Divulgação


Na presidência do Carrefour no Brasil há quase cinco anos, o francês Jean-Marc Pueyo aclimatou-se perfeitamente ao país. Entusiasmado com os 40% de crescimento que a rede de supermercados obteve no ano passado, Pueyo e sua mulher entraram com pedido de cidadania brasileira. Como não tem filhos nascidos aqui, o que facilitaria o processo, o casal decidiu ficar no Brasil até 2012, quando se completa o prazo mínimo previsto por lei para que a solicitação seja aceita.

 



Foto Renata Ursaia

 


Foto Tiago Queiroz/AE

 

Com reportagem de Daniel Biasetto, Fábio Portela, Igor Paulin, Mariana Amaro e Victor De Martino



Publicidade
 
Publicidade

 
  VEJA | Veja São Paulo | Veja Rio | Expediente | Fale conosco | Anuncie | Newsletter |