Edição 1 625 -24/11/1999

VEJA esta semana

Brasil
Internacional
Geral
Economia e Negócios
Guia
Artes e Espetáculos
Colunas
Luiz Felipe de Alencastro
Sérgio Abranches
Diogo Mainardi
Roberto Pompeu de Toledo
Seções
Carta ao leitor
Entrevista
Cartas
Radar
Contexto
Holofote 
Veja essa
Notas internacionais
Hipertexto
Gente
Datas
Cotações

Banco de Dados 

Para pesquisar digite uma ou mais palavras no campo abaixo. 



Anunciada:
a gravidez de Cherie Blair, 45 anos, mulher do primeiro-ministro da Inglaterra, Tony Blair, 46 anos. Será o quarto filho do casal, que já tem dois meninos, Euan, 15, e Nicholas, 14, e uma menina, Kathryn, 11. O bebê deverá nascer em maio. Dia 18, em Londres.

Confirmado: como o terceiro melhor tenista do mundo o brasileiro Gustavo Kuerten, o Guga, 22 anos. A posição de Guga no ranking da Associação dos Tenistas Profissionais, ATP, é inédita para um tenista brasileiro. Até a semana anterior, ele ocupava o quinto lugar. Agora, está atrás apenas do americano Andre Agassi e do russo Yevgeny Kafelnikov. Dia 15, na Flórida, Estados Unidos.

Morreram: o escritor americano Paul Bowles. Autor de O Céu que Nos Protege (filmado em 1990 pelo diretor italiano Bernardo Bertolucci) e Que Venha a Tempestade, foi um ícone da geração de escritores beatniks, como Jack Kerouac. Vivia desde 1952 em Tânger, Marrocos. Vítima de problemas respiratórios, estava internado desde 7 de novembro. Seu corpo seria cremado na Espanha e as cinzas seguiriam para os Estados Unidos. Dia 18, aos 88 anos, de parada cardíaca, em Tânger.

.o cantor americano Donald Mills. Era o último integrante vivo dos Mills Brothers, a primeira banda de músicos negros a romper a barreira racial e fazer sucesso no rádio, nos anos 30. Uma marca da banda era a habilidade de imitar instrumentos musicais com a voz. Dia 13, aos 84 anos, de pneumonia, em Los Angeles.

A morte do maldito sublime

O teatro brasileiro perdeu sua alma marginal: Plínio Marcos. Depois de três derrames e quase um mês de internação, em São Paulo, o dramaturgo morreu na sexta-feira, por falência múltipla de órgãos. O criador de Navalha na Carne (1967) tinha 64 anos. Antes de se tornar um dos mais importantes autores do teatro brasileiro – apontado por Nelson Rodrigues como seu sucessor –, ele foi estivador, palhaço de circo e camelô. Estreou em 1959, aos 24 anos, com Barrela, adaptada depois para o cinema. Mas foi com Dois Perdidos numa Noite Suja (1966) que ganhou fama. Seus textos contemplaram a realidade dura e cruel das prostitutas, dos meninos de rua, da violência policial. Eram temas perturbadores para a época, e Plínio Marcos foi alvo da ferocidade da censura durante o regime militar. Barrela esteve proibida por 21 anos.

Recebeu alta: o presidente eleito da Argentina, Fernando de la Rúa, 62 anos. Ele estava internado desde o dia 12, quando drenou uma bolha de ar do pulmão direito. Dia 17, em Buenos Aires.

Rebaixado: a coronel e forçado a passar para a reserva o general americano John Maher, 51 anos, por manter casos amorosos com as mulheres de dois oficiais subalternos. A punição, inédita na história do Exército dos Estados Unidos, inclui uma multa de 8 600 dólares e a redução de 18 000 dólares na pensão anual. Dia 16, em Washington.

Presos:pela Polícia Federal argentina a viúva e um dos filhos do narcotraficante colombiano Pablo Escobar, morto em 1993. Victoria Henao Vallejos, 39 anos, e Juan Pablo Escobar, 20 anos, são acusados de falsificação de documentos e lavagem de dinheiro. Eles viviam na Argentina havia dezoito meses usando nomes falsos. Desde 1995 não se tinha notícias do paradeiro da família de Escobar. Dia 15, em Buenos Aires.

Internado: o cartunista americano Charles Schulz, 76 anos, criador do personagem Snoopy. Submetido a uma cirurgia de emergência para desobstruir uma artéria abdominal, até o final da semana passada, Schulz se recuperava bem. Dia 16, em Santa Rosa, nos Estados Unidos.

Eleito: pela agência de notícias Reuters a maior personalidade esportiva do século Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, 59 anos. A pesquisa foi realizada entre 54 editores esportivos e jornalistas de 35 países. Depois de Pelé, vêm Muhammad Ali, Carl Lewis e Michael Jordan. Ayrton Senna aparece em décimo quinto lugar na lista. Dia 19, em Londres.

Denunciado: por três homicídios e 36 tentativas de homicídio o estudante Mateus da Costa Meira, 24 anos. No último dia 3, ele disparou uma submetralhadora contra a platéia de um cinema em São Paulo, matando três pessoas e ferindo cinco. A denúncia foi acolhida pela Justiça, mas Meira pode não ir a julgamento, já que a defesa aguarda o resultado do exame de sanidade mental do rapaz. Dia 19, em São Paulo.

Condenados: por assassinato em segundo grau o americano Nathaniel Abraham, de 13 anos. Um dos mais jovens réus a ser julgado por homicídio nos Estados Unidos, ele foi considerado culpado da morte a tiros de um rapaz de 18 anos. Dia 16, em Pontiac, nos Estados Unidos.

a um ano de prisão o casal Gavin Seow Lek Chen, 27 anos, e Lynn Cheok Lye Peng, 22 anos. Eles haviam fumado maconha na Austrália, três semanas antes de retornar a Cingapura, onde foram submetidos a um teste antidrogas no serviço de imigração do país. Dia 16, em Cingapura.

 

A VOZ DO MORRO

Fernando Lemos/Strana
Zé Keti: último compositor da era áurea do samba


José Flores de Jesus, o
Zé Keti, foi um dos últimos grandes compositores de uma safra que teve nomes como Cartola, Nelson Cavaquinho e Candeia. Foi ele quem lançou Paulinho da Viola, compôs o tema do filme Rio, 40 Graus e estreou o contestatório show Opinião com Nara Leão e João do Vale, em 1964. Nascido na Zona Norte do Rio de Janeiro, apaixonou-se pela Portela. Nos anos 40, quando servia como soldado da Polícia Militar, compôs sua primeira marcha carnavalesca. Vinte anos depois era um ícone do samba carioca e presença constante nas apresentações do conjunto A Voz do Morro, com Elton Medeiros, Paulinho da Viola e Nelson Sargento. Autor de clássicos como Malvadeza Durão, Meu Pecado e Nega Dina, foi Keti quem inverteu os papéis do Arlequim (que representa a alegria) e do Pierrô na música Máscara Negra, cantando: "Arlequim está chorando pelo amor da Colombina, no meio da multidão", versos que até hoje animam a folia dos salões carnavalescos. Vítima de parada cardíaca no domingo 14, aos 78 anos, foi enterrado ao som de velhos sambas. Sobre o caixão, o inseparável chapéu panamá.