Publicidade
buscas
cidades PROGRAME-SE
Edição 1 700 - 16 de maio de 2001
Gente

estasemana
(conteúdo exclusivo para assinantes VEJA ou UOL)
Sumário
Brasil
Internacional
Geral
Economia e Negócios
Guia
Artes e Espetáculos

colunas

(conteúdo exclusivo para assinantes VEJA ou UOL)
Claudio de Moura Castro
Sérgio Abranches
Diogo Mainardi
Roberto Pompeu de Toledo

seções
(conteúdo exclusivo para assinantes VEJA ou UOL)
Carta ao leitor
Entrevista

Cartas
VEJA on-line
Radar
Contexto
Holofote
Veja essa
Arc
Hipertexto
Notas internacionais
Gente
Datas

Para usar
VEJA Recomenda
Os mais vendidos

arquivoVEJA
(conteúdo exclusivo para assinantes VEJA ou UOL)
Busca detalhada
Arquivo 1997-2001
Busca somente texto 96|97|98|99|00|01


Crie seu grupo




 

Ai, que vontade irresistível de aparecer

Rodrigo Queiroz
Eike, Luma e o broche estratégico: ela, de novo


Ops! Ela fez de novo: Luma de Oliveira, 36 anos, especializada em tirar a roupa e produzir manchetes, conseguiu outra vez virar assunto da semana. Na festa de lançamento da Playboy na qual é a capa e o miolo, pregou um broche de ouro e 35 corações de brilhantes formando as iniciais EB – do marido, Eike Batista – na lateral da calcinha, devidamente revelada por uma fenda até a cintura do, digamos, vestido. "Tanta gente sai por aí com o CD de Christian Dior. Sou muito mais o Eike", ronrona a linda, que há quatro Carnavais desfilou com o nome dele escrito numa coleira. O homenageado, de gravata vermelha combinando com o vestido dela, marcou presença o tempo todo, com cara de marido.

 

Confesse: ela também enganou você


Aki: chiliques perfeitos e pintas no pescoço

A rigor, ela não devia estar nestas páginas. Mas Aki Ross, a heroína criada em computador para o filme Final Fantasy, com estréia prevista para julho nos Estados Unidos, é tão gente que merece o lugar. Aki é da novíssima geração de beldades virtuais – seus movimentos se baseiam nos de gente de verdade, filmados e aplicados sobre sua figura; as expressões, naturalíssimas, a fazem rir, chorar, ofegar e ter chiliques perfeitos; a beleza tem humanas imperfeições, como sardas e pintinhas no pescoço. De tão pessoa, Aki virou capa da edição "As 100 Mais Sensuais" da revista masculina Maxim. De biquíni, naturalmente.

 

Ih, lá vem o Jean-Claude

Marcos Mendes/AE
Van Damme na chegada e no programa do Gugu, com Gretchen: de funk a strip-tease, importante é aparecer

Em visita promocional ao Brasil, Jean-Claude van Damme, 40 anos, dançou funk, fez strip-tease quase completo, enfim, mostrou-se pronto para o que desse e viesse. Em cinco dias, foi a quatro programas de TV. No Domingo Legal, do Gugu, esfregou-se com a veterana Gretchen, que se insinuou como pôde. "Nem notei", disse depois – mas na hora fez que tinha percebido muito bem. No É Show, de Adriane Galisteu, tirou a jaqueta para exibir os músculos. Também removeu peças de roupa numa festa-homenagem-mico. "Vim para aparecer mesmo e garantir propaganda para meu filme", explica. Deu tão certo que ninguém agüentava mais o fortinho.

 

Mãe tardia e em tempo integral

Bia Parreiras
Nadja e seu precioso temporão: vida antes e depois de Victor


Feliz da vida, Nadja Winitskowski, 48 anos, mãe da atriz Danielle Winits, exibe orgulhosa o temporão Victor, 8 meses. É, realmente, uma vitória a comemorar: por causa de um erro médico, a mãe tardia quase perdeu o pequerrucho, que nasceu prematuro de seis meses. "Classifico minha vida em a.V. e d.V. – antes e depois do Victor", brinca. A mudança inclui o abandono de sua grife de roupas e das aulas de power ioga e dedicação integral ao filho. "Quando a Dani nasceu, eu tinha 20 anos, casamento, faculdade e muita ansiedade. Agora, estou mais madura", analisa Nadja, que faz natação com Victor, massagem indiana nele e lê tudo sobre bebês.

 

Siliconada, sim, mas com todo o cuidado

Antes que o mundo a condene, a jogadora Leila, 29 anos, que está trocando o vôlei de quadra pelo de praia, esclarece: 1) implantou, sim, 130 mililitros de silicone em cada seio; 2) sabe, sim, que a prótese atrás da glândula mamária mascara o resultado da mamografia; 3) mesmo turbinada, concordou, sim, em participar de campanha de combate ao câncer de mama. Leila tomou o cuidado de, a conselho médico, para se preservar em futuros exames, instalar seu recheio embaixo do músculo peitoral, e não atrás da glândula – onde a maioria põe, para ficar bem redondinho. "Pode não ter ficado tão bonito, mas não queria me arriscar", justifica. "De qualquer forma, realizei um sonho."

 

Por favor, voltem logo ao
modelo original

 
Divulgação
Frias: oficial napoleônico ou popozudo? Benício: loiro de matar

Toda mulher já passou por isso: enfrentar horas no cabeleireiro para, no fim, olhar-se no espelho e ter a horripilante sensação de que não poderá sair de casa por três meses. Pois agora chegou a vez dos platinados Mário Frias e Murilo Benício. Frias penou cinco idas ao salão para ganhar as madeixas longas e louras do oficial napoleônico que interpreta no teatro – embora tenha ficado mais com jeitão, assim, de popozudo. "Foi muito incômodo. Mas estou me acostumando", diz. Benício descoloriu o cabelo também para um personagem, um matador no cinema. Mas já encomendou um produto especial, num centro capilar na Espanha, para voltar ao normal assim que possível.

 

Editado por Lizia Bydlowski.
Colaboraram Aida Veiga, Bel Moherdaui e Sílvia Rogar


 
 
   
  voltar
   
  NOTÍCIAS DIÁRIAS