Edição 1 657 - 12/7/2000

VEJA esta semana

Brasil
Internacional
Geral
Economia e negócios
Guia
Artes e Espetáculos
Colunas
Claudio de Moura Castro
Sérgio Abranches
Diogo Mainardi
Roberto Pompeu de Toledo
Seções
Carta ao leitor
Entrevista
Cartas
VEJA on-line
Radar
Contexto
Holofote 
Veja essa
Arc
Notas internacionais
Hipertexto
Gente
Datas
Cotações
Para usar
Veja recomenda
Os mais vendidos

Banco de Dados 

Para pesquisar digite uma ou mais palavras no campo abaixo. 


 

O BEBÊ DE ROSANE

Thyago Nogueira


Depois de dezesseis anos de união, Rosane e o ex-presidente Fernando Collor de Mello resolveram que está na hora de encomendar um bebê. Se tudo der certo, a criança deverá nascer no primeiro semestre de 2001. Será o primeiro filho de Rosane e o quarto do ex-presidente. A dúvida é se o planejado rebento nascerá em São Paulo, cidade da qual Collor quer ser prefeito, ou em Maceió, onde o ex-presidente mantém a popularidade dos bons tempos.

 

FÉRIAS FRUSTRADAS

Roberto Jayme


Todo mundo acha que vida de diplomata é moleza. O embaixador brasileiro nos Estados Unidos, Rubens Barbosa, discorda. A pedido do Itamaraty, Barbosa terá de interromper suas férias em Londres para acompanhar o governador da Flórida, Jeb Bush, em sua visita ao Brasil na próxima semana. A missão é importante. Bush, que é irmão do candidato à Presidência dos Estados Unidos George W. Bush, trará uma comitiva de 170 empresários interessados em investir por aqui.

 

O PÃO SEM AÇÚCAR

Raul Junior


Abilio Diniz, presidente do Pão de Açúcar, jamais descuidou de seu físico. Mas até seus amigos andam impressionados com o corpão que ele ganhou nos últimos tempos. Aos 63 anos e com 72 quilos distribuídos por 1,80 metro, Abilio está enxutérrimo. O segredo da boa forma? Três horas diárias de exercícios e prática de esportes, reguladas por um personal trainer. Além disso, a dieta do empresário é controlada por um nutricionista particular.

 

ENTRE AQUI E ACOLÁ

Claudio Rossi


Até perder a indicação do PPS à prefeitura de São Paulo, Roberto Mangabeira Unger vinha passando três semanas na capital paulista e apenas uma em Harvard, onde é professor de direito. A derrota na convenção fez Mangabeira inverter os turnos. De agora em diante, ele permanecerá três semanas nos Estados Unidos e somente uma em São Paulo. Mas que ninguém se engane: Cérebro ainda quer dominar o mundo.

 

 

Editado por Maurício Lima. Colaboraram André Palhano,
Daniela Pinheiro, Juliana Lopes, João Luiz Guimarães e Tatiana Chiari