Holofote

Esta semana
Sumário
Brasil
Internacional
Geral
Economia e Negócios
Guia
Artes e Espetáculos

Colunas
Diogo Mainardi
Claudio de Moura Castro
Sérgio Abranches
Roberto Civita

Seções
Carta ao leitor
Entrevista
Cartas
VEJA on-line
Radar
Contexto
Holofote
Veja essa
Arc
Notas internacionais
Hipertexto
Gente
Datas
Cotações
Para usar
VEJA Recomenda
Os mais vendidos de 2000

Arquivos VEJA
Para pesquisar nos arquivos da revista, digite uma ou mais palavras

Busca detalhada
Arquivo 1997-2000
Busca somente texto 96|97|98|99
Os mais vendidos
 

PRIMEIRO E ÚNICO

Rogério Monteiro


Ao montar o governo, o presidente do México, Vicente Fox, colocou nos ministérios alguns medalhões do empresariado. Há executivos da Gillette, da Avantel e da DuPont. No Brasil, isso raramente acontece. Nos últimos quinze anos, o único profissional da iniciativa privada a ocupar um cargo no primeiro escalão do governo é o atual ministro do Desenvolvimento, Alcides Tápias, ex-presidente do grupo Camargo Corrêa. A escola brasileira é outra. Os assessores entram anônimos no governo. Tornam-se empresários e banqueiros depois de servir à pátria.

 

PODEROSA TEREZA

Ed Ferreira/AE

A diretora de fiscalização do Banco Central, Tereza Grossi, está de novo em alta no governo federal. As acusações que a apontaram como pivô da liberação de 1,6 bilhão de reais para os bancos Marka e FonteCindam parecem não ter afetado sua reputação profissional. Ela começou o ano com superpoderes. Além de sua diretoria, acumulou outras três. Foi escalada para cobrir as férias dos diretores de normas, administração e finanças públicas e regimes especiais.

 

TODOS QUEREM ESTE HOMEM

Raul Junior

O presidente da Sadia, Luiz Fernando Furlan, é um dos executivos mais solicitados para integrar conselhos administrativos de empresas no país. Administrador de primeira linha, há tempos participa das reuniões de conselhos da IBM, do banco ABN-Amro, da Brasmotor e da Panamco, engarrafadora da Coca-Cola na América Latina. Recentemente, foi nomeado para mais um: o da Telefónica S.A., que se reúne uma vez por mês. Especula-se que o salário para a função seja de 15.000 reais por mês.

 

MEGAMANSÃO À VISTA

Mauricio Nahas

O tititi entre os arquitetos é ver quem será escolhido para tocar a obra de reforma da casa do banqueiro Edemar Cid Ferreira, do Banco Santos, em São Paulo. Edemar já possui uma das mansões mais espetaculares da cidade, avaliada em alguns milhões de reais, e comprou dois terrenos vizinhos para fazer uma casa ainda maior. O banqueiro costuma trabalhar com os arquitetos Ugo di Pace e Ruy Ohtake, mas diz que não escolheu nenhum nome. Considera recorrer a profissionais estrangeiros.

 

Férias mais confortáveis

A Infraero espera que as próximas férias de verão, as de 2002, sejam mais confortáveis para quem viaja de avião. Nos últimos quatro anos, foram remodelados dez dos principais aeroportos brasileiros. Atualmente, outros seis estão passando por reformas. As obras estão calculadas em 760 milhões de reais. Conheça as modificações programadas:

AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO

Benfeitorias: ampliação de dois terminais de passageiros, construção de duas pontes de embarque, 47 balcões de check-in, cinco carrosséis de embarque e quatro de desembarque de bagagem

AEROPORTO INTERNACIONAL DE SALVADOR

Benfeitorias: ampliação do terminal de passageiros, do terminal de cargas e da pista de taxiamento, edifício-garagem, 41 balcões de check-in, onze pontes de embarque e 115 lojas

AEROPORTO INTERNACIONAL DE BELÉM

Benfeitorias: quinze balcões de check-in, 99 lojas, duas salas vips, seis pontes de embarque, seis escadas rolantes, dez elevadores, estacionamento para 680 veículos e praça de alimentação

AEROPORTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA

Benfeitorias: trinta balcões de check-in, duas passarelas de embarque, carrossel de triagem de bagagem, quatro elevadores, sistema de automação predial e de informações de operação e segurança, além da implantação de uma nova pista de pouso que duplicará a capacidade de pousos e decolagens

AEROPORTO INTERNACIONAL DO RECIFE

Benfeitorias: ampliação do terminal de passageiros, construção de 28 balcões de check-in, onze pontes de embarque, nove escadas rolantes, nove elevadores, quadruplicação da capacidade do edifício-garagem e 174 lojas

AEROPORTO INTERNACIONAL DE PORTO ALEGRE

Benfeitorias: 32 balcões de check-in, dez pontes de embarque, dois elevadores panorâmicos, dez escadas rolantes, shopping center 24 horas, sistema de climatização, três cinemas e edifício-garagem

Colaboraram Tatiana Chiari, Márcio Pacelli, Juliana Lopes,
Betina Moura e João Guimarães

 

Copyright 2001
Editora Abril S.A.
  VEJA on-line | Veja São Paulo | Veja Rio | Veja Curitiba
Veja BH | Veja Fortaleza | Veja Porto Alegre | Veja Recife
Edições especiais | Especiais on-line | Estação Veja
Arquivos | Próxima VEJA | Fale conosco

mplate -->