Publicidade
buscas
cidades PROGRAME-SE
Edição 1 737 - 6 de fevereiro de 2002
Artes e Espetáculos Cinema
 

estasemana
(conteúdo exclusivo para assinantes VEJA ou UOL)
Índice
Seções
Brasil
Internacional
Geral
Economia e Negócios
Guia
Artes e Espetáculos
  A Globo aposta forte com Big Brother
O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, de Jean-Pierre Jeunet
Efeito Colateral, com Arnold Schwarzenegger
O verdadeiro dom João VI
Aventura e tragédia nos vulcões
A velha-guarda do samba
Obras de Albert Eckout pela primeira vez no Brasil

colunas
(conteúdo exclusivo para assinantes VEJA ou UOL)
Luiz Felipe de Alencastro
Sérgio Abranches
Diogo Mainardi
Roberto Pompeu de Toledo

seções
(conteúdo exclusivo para assinantes VEJA ou UOL)
Carta ao leitor
Entrevista

Cartas
Radar
Holofote
Contexto
Veja essa
VEJA on-line
Arc
Gente
Datas

Para usar
VEJA Recomenda
Os livros mais vendidos

arquivoVEJA
(conteúdo exclusivo para assinantes VEJA ou UOL)
Arquivo 1997-2002
Reportagens de capa
2000|2001|2002
Entrevistas
2000|2001|2002
Busca somente texto
96|97|98|99|00|01|02


Crie seu grupo




 

Mestre confeiteiro

O diretor francês Jean-Pierre Jeunet
cria uma Paris de fábula, e uma heroína
de sonho, em Amélie Poulain

Isabela Boscov

 
Divulgação
Audrey Tautou como Amélie: uma garçonete a serviço da felicidade alheia

Filha de "um refrigerador e uma neurótica", como diz o narrador do filme, a pobre Amélie Poulain teve uma infância incomum. Seu pai, um médico, era tão avesso a carinhos que bastava o toque de seu estetoscópio no peito da menina para que o coração dela disparasse de emoção – razão de ele ter diagnosticado Amélie como vítima de uma anomalia cardíaca. Deprimido pela neurastenia dos Poulain, o peixinho dourado da família tentou repetidas vezes se matar. Mamãe tanto rezou por um filho homem que, numa de suas visitas à igreja, foi involuntariamente assassinada por uma turista suicida, que escolheu aquele momento para se jogar do alto da torre. De certa forma, foi o que deixou Amélie livre para apreciar os pequenos prazeres da vida. Realmente pequenos, diga-se. As coisas favoritas de Amélie são mergulhar as mãos em sacas de cereais na mercearia, quebrar a crosta açucarada do crème brûlée com a colher e atirar pedrinhas na água, para vê-las ricochetear. Esses e muitos outros eventos sobre a formação da protagonista são narrados a toda a velocidade, em tom de desenho animado, durante a primeira meia hora de O Fabuloso Destino de Amélie Poulain (Le Fabuleux Destin d'Amélie Poulain, França/Alemanha, 2001), que estréia nesta sexta-feira em São Paulo e no Rio de Janeiro. O filme é um dos maiores fenômenos da história recente do cinema francês, e com motivo. Dirigido com entusiasmo palpável por Jean-Pierre Jeunet e estrelado pela irresistível Audrey Tautou, de 23 anos, Amélie é uma obra-prima da confeitaria: não tem grande teor nutritivo, mas seu sabor e sua apresentação são o que de melhor um pâtissier competente e criativo pode produzir.

Feitas as devidas apresentações, o filme se ocupa de mostrar os rumos insólitos que a vida de Amélie – agora uma solitária garçonete do café Deux Moulins, no bairro de Montmartre – toma a partir de 31 de agosto de 1997, dia em que a princesa Diana morreu num acidente em Paris. Atônita com o noticiário, Amélie deixa cair a tampa do seu perfume, que atinge um ladrilho do rodapé. Atrás dele, a protagonista encontra uma caixa em que algum menino, décadas antes, escondeu seus pequenos tesouros: bonecos, figurinhas, fotos de jogadores. Amélie empreende uma caçada ao dono da caixa e transforma a vida dele ao reapresentá-lo ao passado. A garçonete descobre, assim, sua vocação: promover a felicidade alheia. O estratagema serve também para adiar a busca por sua própria realização, que ela teme não encontrar. Não que não sonhe com ela. No papel de seu príncipe, Amélie imagina o tímido Nino (o ator e diretor Mathieu Kassovitz), balconista de uma sex shop e, nas horas vagas, colecionador de fotos tiradas numa cabine automática do metrô e descartadas por seus donos.

Jean-Pierre Jeunet é um cineasta celebrado por sua concepção visual. Não se suspeitava, contudo, que ele fosse capaz desse tipo de romantismo e inocência. Seus primeiros filmes, Delicatessen e Ladrão de Sonhos (dirigidos em parceria com o quadrinista Marc Caro), são comédias de humor negro fascinantes, mas que beiram o pesadelo. No fim dos anos 90, porém, Jeunet passou por uma mudança. Esgotado pela experiência de ter feito um filme caro e ruim nos Estados Unidos – o quarto episódio da série Alien –, ele retornou à França ansioso por se repatriar. Manteve seu estilo único, mas decidiu que era hora de ser feliz. A Paris que ele mostra na tela, por exemplo, é fruto do lado mais generoso da sua devoção. Montmartre, um bairro tão banalizado pelo turismo, parece uma montanha encantada. Os fregueses do café Deux Moulins são tipos esquisitos mas, à sua maneira, adoráveis. As nuvens têm forma de animais, as cores são saturadas e o calçamento brilha sob a iluminação pública. Quando Amélie encontra Nino pela primeira vez, pode-se ver seu coração vermelho-elétrico batendo no peito. A ação é incessante e os detalhes, tão profusos, que é virtualmente impossível não ser tragado pelo filme.

Amélie é especial também por causa de Audrey Tautou. Seus olhos enormes, que a câmara sempre procura, foram o que primeiro atraiu a atenção do diretor, num cartaz do filme Instituto de Beleza Vênus. Jeunet convocou Audrey para um teste e, segundo sua estimativa, não demorou mais do que dez segundos para contratá-la. Todos os gostos, desejos e manias da personagem (incluindo aí seu humor meio ranzinza, tipicamente francês) pertencem, na verdade, a Jeunet. E todas as coisas belas que o diretor inventou para sua fita estão lá, também, para emoldurar Audrey. O resultado é exatamente o que ele pretendia: um filme que tem a missão nem sempre louvada, mas nem por isso menos louvável, desde que cumprida com honestidade, de fazer a platéia se sentir feliz.

 
Veja também
Estação VEJA: o sucesso dos filmes franceses O Gosto dos Outros e O Fabuloso Destino de Amélie Poulain.

 

   
canaldecompras
O que é canal de compras
CDs DVDs Vídeos
Saraiva.com.br
 
Livros
Saraiva.com.br
Livraria Nobel
 
Ingressos
Ingresso.com.br
 
   
  voltar
   
   
  NOTÍCIAS DIÁRIAS